Assumida

Assumida
Depois de se assumir homossexual para a família e apresentar a todos sua namorada, ela notou que seu irmão não gostou muito da ideia e foi falar com ele.
_Parece que você não está muito feliz com minha sexualidade, é isso?
_Tudo bem. Não me importo com o fato de você ser lésbica. Mas você tinha que pegar justamente a mais gostosa do bairro? Estava de olho nela há um tempão.
Boquiaberta com a situação e sem dizer nada, ela assistiu seu “brother” montar na moto e sair acelerado sem dar mais satisfações. A única conclusão: no mundo masculino tem muita gente sem noção.

Consumo
Outro dia comprei dois produtos no Mercado Livre e um deles veio quebrado. Reclamei e ficaram de me devolver o valor sem nenhum custo. Depositaram, então, a quantia numa conta de um tal Mercado Pago e, gentilmente, pediram que eu escolhesse entre ficar com crédito na tal conta para compras futuras ou transferir o dinheiro para a minha conta bancária.
Optei pela última e cobraram R$3 pela operação. Uai, não era sem custo a devolução? Obviamente não deixei barato e denunciei o site aos órgãos de defesa do consumidor. É por essas e outras que esse Brasil está longe de ter jeito.

Aplicação I
Sou formado em cursos de graduação, especialização e mestrado em Ciências Sociais Aplicadas. Esse último nome aí que embeleza a grande área de atuação, significa que estudo comportamentos sociais e os aplico para entendê-los.
Mas, na minha formação, foi mais teoria que aplicação. Quase nunca foram feitas pesquisas de campo muito menos laboratoriais. As aulas era um show de verborragia que, dependendo do caso, não faziam sentido algum, pois se não aplico, porque aprender?

Aplicação II
Na minha franca opinião essa é a mesma situação das outras ciências, sejam elas humanas ou exatas. Tem que ter aplicação, senão não faz sentido. Talvez esse seja o grande problema da educação brasileira: o modelo é fracassado porque, além de ultrapassado, não leva em consideração o sentido para os sujeitos. Pra quê estudar um conteúdo que nunca vou usar na vida? É por essas e outras que insisto aos educadores brasileiros que conheçam o modo finlandês de ensinar. Se continuar do jeito que está, vamos caminhado para lugar nenhum…

Copa
Lindíssima a atuação da França e da Croácia na Copa do Mundo. É o que vi nas reportagens, porque, definitivamente, não acompanho muito futebol. Mas, porém, todavia e no entanto, uma coisa me chama a atenção na Seleção Brasileira, que acompanho desde 1998, quando surgiu um leve interesse pelo assunto: futebol de raça é coisa do passado.
Os europeus dominam a técnica e já desenvolveram meios para superar a jinga e a malandragem da Seleção Canarinho. Isso sem contar a vaidade dos pseudo-heróis que o futebol brasileiro ainda insiste em criar, endossados pela Rede Globo de Televisão. #pegoumal.

Eleições
Passada a Copa do Mundo voltemos à realidade nacional com o desafio das eleições presidenciais. E as projeções apontam que, neste ano, vamos experimentar o maior índice de rejeição da história com votos nulos e brancos.
Eu, particularmente, sou contra jogar a oportunidade do voto fora, embora democracia dê ao cidadão esse direito. Eu prefiro me posicionar levando em consideração vários fatores tais como crise financeira, corrupção, crise das instituições e a quase falência dos Estados da Federação.
Só com voto consciente poderemos mudar isso. Agora, voto consciente é assunto para uma outra coluna, talvez de página inteira. Quem sabe?

Breno Eustáquio é jornalista e professor

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui