O Ministério da Educação lançou o segundo concurso anual de melhores receitas entre as merendeiras de escolas de todo o País. A data marca os 62 anos do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae).

Segundo o ministro Mendonça Filho, o governo federal tem priorizado iniciativas que contribuem para um ensino público de melhor qualidade no País. Uma delas foi a decisão, neste ano, de aumentar em 20% os valores dos repasses da União para a merenda escolar aos estados e municípios, após anos de defasagem.

“Retomando esse reajuste, mostramos claramente a nossa postura de prestigiar e reconhecer algo que vem dando certo e que contribui de forma efetiva para a educação.”

Graças ao Pnae, são servidas 50 milhões de refeições por dia para 41 milhões de estudantes. O trabalho conta com a atuação de 6 mil nutricionistas. Para 2017, estão sendo investidos recursos de R$ 4 bilhões.

Silvio Pinheiro, presidente do FNDE, responsável pela distribuição dos recursos do Pnae, salientou que o programa tem ultrapassado fronteiras e, por isso, também vem chamando a atenção de outros países, muitos na América Latina, como Costa Rica e México.

“O Brasil, hoje, está ‘bem na foto’”, destacou. “Por meio de uma pesquisa feita recentemente, a FAO anunciou que saiu do mapa da fome. Menos de 5% da população brasileira se enquadrava na faixa de insegurança alimentar. Um dos fatores para esse resultado é a alimentação escolar, referência internacional”, afirmou o assistente da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), Gustavo Chianca.

Já Daniel Balaban, diretor do Centro de Excelência contra a Fome da ONU, enumerou reflexos positivos do programa: redução do abandono escolar, melhoria do aprendizado e desenvolvimento econômico local.

Cerca de 30% dos produtos comprados são da agricultura familiar. Segundo Balaban, em algumas nações de origem muçulmana, o programa tem contribuído também para a igualdade de gênero. “Aumentam as matrículas de meninas pelos pais, porque elas passam a ter o que comer fora de casa”, situou.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA