Detentos do Presídio de Itabira fazem greve de fome após mudanças nos dias de visitação

A greve de fome teve início na manhã desta segunda-feira (9). Fotos: Atila Lemos

Os cerca de 390 detentos do Presídio de Itabira deram início a uma greve de fome na manhã dessa segunda-feira (9). O motivo seria o fato dos dias de visitas, que eram de sete em sete dias, passarem para quinzenal.

Revoltados os apenados passaram a devolver as refeições diárias intactas.

Em entrevista ao site O Popular, o diretor do Presídio de Itabira, Márcio Pedro, disse que apesar da greve de fome instalada na unidade, não são todos os detentos que aderiram ao movimento. “Realmente alguns presos estão em greve de fome, alguns até entenderam a necessidade da mudança e num primeiro momento receberam a alimentação. Esta é uma mudança de cunho executivo que já atingiu grande parte das unidades do estado, inclusive das unidades vizinhas”, pontuou o diretor.

Márcio Pedro explicou ainda que como o cenário carcerário mudou muito nos últimos anos, sobretudo pelo aumento no número de pessoas privadas de liberdade, o que significa dizer que houve também o aumento no número de visitantes. “O grande número de pessoas e algumas questões administrativas, dificulta a garantia da segurança de todos, que é a nossa principal meta. Estamos todos entristecidos pelo que está ocorrendo, sabemos que há a sensação de perda, mas o que pedimos é que compreendam essa necessidade”, disse.

A medida, segundo Márcio Pedro, chegou ao seu conhecimento de forma anônima, que a mudança vai ajudar alguns visitantes que não têm condições de irem todos os finais de semana, mas vão porque se sentiam envergonhados de ter a visita e eles não irem. Disse ainda  que essa mudança servirá para que os visitantes tenham uma semana para se organizarem, inclusive financeiramente, para na outra realizarem as visitações.

“Nossa intenção não é de prejudicar ninguém, como forma de minimizar a sensação de perda, estamos viabilizando alguma alterações para melhor atender a todos, como compensar o tempo perdido com os procedimentos de entrada, estendendo em até uma hora o momento de saída. Devemos salientar que essa é uma ação prevista no dispositivo legal sobre procedimento do sistema prisional, sendo considerada por necessidade e afim de organizar melhor as demandas”, esclareceu ele.

Márcio Pedro garantiu também que, até o momento, a manifestação é pacífica. Apenas por questões de protocolo estão sendo mantidos grupos de agentes para garantir a segurança de todos.

Na manhã desta terça-feira (10) os apenados rejeitaram o café da manhã. De acordo com o diretor da unidade prisional, não há intenção de remanejar nenhum preso, já que a superlotação é uma realidade de quase todas as unidades.

“Esperamos que essa situação seja resolvida o mais breve possível”, finalizou o diretor da unidade Prisional.

1 COMENTÁRIO

  1. […] A conversa entre os detentos e representantes da unidade Prisional durou quase todo o dia de ontem, até que os quase 390 detidos concordaram em terminar com a greve de fome. Já no período da noite receberam a janta oferecida nas celas. Segundo informações durante a greve, não se registrou nada de anormal como agressões e nem depredação do bem público nas instalações do Presídio. Os detentos ouviram e aceitaram manter o clima sem protesto até então. Leia também. […]

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui