Dia Nacional Contra Abuso Sexual de Crianças e Jovens é celebrado em João Monlevade

Participaram cerca de 350 pessoas de diversos segmentos

João Monlevade celebrou ontem (18), o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Participaram cerca de 350 pessoas de diversos segmentos, setores da Prefeitura de João Monlevade, Organizações Não-Governamentais, sendo: Conselhos Municipais; ONG’s; Escolas Municipais e Estaduais, CEMEI’s; Polícia Militar; Polícia Civil; Conselho Tutelar; Unidades de Saúde; PEAS (Programa de Educação Afetivo Sexual); Fundação Crê- Ser; Casa de Cultura, Secretarias Municipais; Programa Prefeito Amigo da Criança, SETTRAN, dentre outros. A Fanfarra da Escola Estadual Luiz Prisco de Braga abrilhantou a Caminhada. O percurso foi da Câmara Municipal até à Praça do Povo, onde o evento foi encerrado.

O CREAS é o órgão público que faz o acompanhamento das crianças e adolescentes vítimas de abuso e exploração sexual em João Monlevade, através de uma equipe técnica composta por Assistente Social e Psicóloga. A grande maioria dos casos é encaminhada pelo Conselho Tutelar, o primeiro órgão que deve ser acionado em caso de suspeita ou confirmação de caso de violência contra crianças e adolescentes.

Durante à tarde houve a panfletagem na Avenida Wilson Alvarenga e na Rua Armando Batista, próximo à Praça do Lindinho. A equipe do CREAS entregou panfletos da Campanha 18 de Maio a todos os motoristas que pararam no semáforo.

Segundo a Coordenadora do CREAS, Tatiana Meireles, o objetivo do CREAS com essa campanha é que todas as pessoas que souberem de alguma violência sexual contra crianças e adolescentes denuncie no Disque 100 ou no Conselho Tutelar através do telefone: 3851-3032, lembrando que essa denúncia pode ser anônima. “Vamos proteger nossas crianças e adolescentes!”

Sobre a data

A data de conscientização foi criada em alusão ao dia 18 de maio de 1973, quando a Araceli Crespo, de 8 anos, foi raptada, estuprada e morta por jovens de classe média alta em Vitória (ES). Os agressores nunca foram punidos.

O Disque 100 e o aplicativo Proteja Brasil são os principais meios de denúncia dos crimes envolvendo crianças e jovens. Apenas em 2015 e 2016, 37 mil casos de denúncias de violência sexual na faixa etária de 0 a 18 anos foram recebidos pelo Disque 100. As ligações no Disque 100 são gratuitas, e as denúncias são anônimas. O atendimento é 24h e ocorre inclusive nos domingos e feriados.

A secretária Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente, Claudia Vidigal, destaca que o enfrentamento a esses crimes no Brasil passa por uma mudança cultural. “Esse crime deve deixar de ser naturalizado e banalizado e passe a ser tratado como de fato ele é: um crime hediondo, com penas duras e rígidas”, afirma.

Julho 2017

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here