Discriminação racial é tema de seminário sediado pelo Legislativo de Monlevade

Durante a palestra, Marinete salientou o fato de a discriminação racial começar dentro da própria escola (Maria Tereza Bicalho/Acom CMJM)

A Câmara Municipal de João Monlevade realizou na última terça-feira, 12, o lançamento do projeto Parlamento Jovem de Minas 2019, que este ano tem como tema “Discriminação Étnico-racial”. O evento foi uma das atividades do Legislativo monlevadense alusivas ao Dia Internacional da Mulher.

Na oportunidade, foi realizado o 11º Seminário Maria da Penha da Mulher Monlevadense, tendo o tema abordado pela pedagoga Marinete da Silva Morais. Ela é pós-graduada em Políticas Públicas em Gênero e Raça. O evento contou com a presença do presidente Leles Pontes (PRB); dos vereadores Belmar Diniz, Gentil Bicalho (ambos do PT), Thiago Titó (PDT), Fábio da Prohetel (PP) e Cláudio Cebolinha (PTB). Também estiveram presentes alunos que já participaram de outras edições do Parlamento Jovem, educadores e representantes de entidades que vão atuar em parceria com o projeto este ano: Associação Afrodescendentes de João Monlevade (Amad), Pastoral Afro da Juventude e o colunista social Anselmo de Oliveira.

Durante a palestra, Marinete salientou o fato de a discriminação racial começar dentro da própria escola, local onde a inclusão social deveria ser um assunto sempre em discussão. “Quando criança, não me enxergava nas atividades da escola, nas brincadeiras, nas festividades, pois nada era voltado para o povo negro. As bonecas eram brancas, os livros traziam apenas personagens brancos e eu não me encontrava. Isso é uma forma de discriminação racial que ainda hoje acontece em muitas escolas do país”, explicou.

A pedagoga disse que apesar de o Brasil ter avançado nos últimos anos com relação à discriminação racial, há muito ainda que se fazer. “Há algum tempo, a indústria da beleza não fabricava produtos para cabelos crespos. Com isso, comprávamos o que tinha e ficava por isso mesmo. Hoje em dia, a situação já é outra, mas ainda assim é preciso avançar mais em todos os aspectos, não só na indústria de cosméticos, mas na educação, no trabalho, no convívio social. Infelizmente, ainda vivemos em um país racista onde a cor da pele é, para muitos, condição de ser melhor que o outro. Precisamos mudar essa realidade e tenho certeza que o Parlamento Jovem vem para somar muito com esse propósito”, concluiu.

Parlamento Jovem

O Parlamento Jovem de Minas é um projeto de iniciativa da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, por meio da Escola do Legislativo, em parceria com as câmaras municipais do Estado. Trata-se de um programa de formação política voltado aos estudantes do Ensino Médio possibilitando a eles a oportunidade de conhecer melhor a política e os instrumentos de participação no Poder Legislativo Municipal e Estadual.

Além de Monlevade, participam do projeto na região os municípios de São Gonçalo do Rio Abaixo, Itabira, Conceição do Mato Dentro, Catas Altas, Sabinópolis e Alvorada de Minas, cidade iniciante no Parlamento Jovem. Juntos, os sete municípios formam o Polo Metropolitano II. Este ano, Conceição do Mato Dentro será o município sede do polo.

A edição 2019 do Parlamento Jovem de Minas conta com a participação de 99 municípios divididos em 17 polos regionais. Em João Monlevade, o projeto tem como coordenadoras as servidoras Evanir Mercês Gonçalves, Giulia Stefani de Paula Leite e Nilma do Carmo Vieira Linhares.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui