Foliões de festa junina pagam mais caro por comidas típicas

Os preços dos produtos utilizados no preparo dos pratos típicos de festas juninas tiveram alta de 9,15% nos 12 meses compreendidos entre junho de 2018 e maio deste ano, ficando bem acima da inflação acumulada no período, de 5,06%.

De acordo com pesquisa da Fundação Getulio Vargas (FGV), entre os produtos procurados pelos consumidores para fazer as iguarias do arraial, o vilão foi a batata-inglesa, com alta de 98,13%; seguida da couve, que subiu 24,43%. Esses dois produtos são usados no preparo do caldo verde, muito apreciado nas festas juninas. Outros itens muito usados nesta época, como o leite de côco, teve alta de 17,80%; o salsichão e a salsicha subiram 12,30% e o milho de pipoca aumentou 6,37%.

O economista do Instituto Brasileiro de Economia da FGV e coordenador do IPC, André Braz, atribui este aumento dos produtos juninos a dois efeitos: o do clima, que acelerou os preços de alimentos ‘in natura’ que estão na lista; e à ação do dólar.

Para o economista, os preços dos produtos da lista junina não devem continuar em alta. Para ele, até o final deste segundo trimestre os preços dos itens de feira devem estar bem mais em conta, enquanto que os preços dos derivados do milho e do trigo tem uma probabilidade menor de desaceleração, pois dependem das condições da safra e da taxa de câmbio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui