Lula afirma que jamais foi proprietário do sítio de Atibaia na defesa final entregue à Justiça

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva reafirmou, por meio de sua defesa, que jamais foi proprietário do sítio Santa Bárbara, em Atibaia, em São Paulo.

A manifestação consta nas alegações finais entregues à Justiça Federal em Curitiba e fazem parte da última fase da ação penal em que Lula e mais 12 réus respondem às acusações de corrupção e lavagem de dinheiro.

Agora, caberá a juíza Gabriela Hardt, da 13ª Vara Federal, proferir a sentença. Não há prazo para decisão.

O sítio foi alvo de investigações da Operação Lava Jato, que apura a suspeita de que as obras de melhorias no local foram pagas por empreiteiras investigadas por corrupção, como a OAS e a Odebrecht, em troca de favores na Petrobras.

De acordo com a Polícia Federal, a estimativa é de que as obras tenham custado cerca de R$ 1,7 milhão. Segundo os investigadores, as reformas começaram após a compra da propriedade pelos empresários Fernando Bittar e Jonas Suassuna, amigos de Lula.

Nas alegações, os advogados de Lula voltaram a questionar a imparcialidade do ex-juiz Sergio Moro para julgar a fase inicial do processo, a competência da 13ª Vara Federal para julgar o caso, e a suposta ação do Ministério Público Federal para direcionar a investigação contra o ex-presidente.

Desde 7 de abril do ano passado, o ex-presidente cumpre pena de 12 anos e 1 mês de prisão, imposta pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, em ação que trata do apartamento triplex em Guarujá, no litoral paulista. Ele está na carceragem da Polícia Federal, em Curitiba.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui