Minas tem 130 casos suspeitos de sarampo

O sarampo é transmitido pela fala, tosse e o espirro, e extremamente contagiosoa, mas pode ser prevenida pela vacina

Minas Gerais tem 130 casos suspeitos notificados de sarampo, segundo boletim da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES/MG) divulgado nesta quarta-feira (8). Deste total, 54 casos foram descartados e 76 que permanecem em investigação, aguardando a pesquisa laboratorial para processamento das amostras pela Fundação Ezequiel Dias (Funed).

Na região do Médio Piracicaba, onde a cidade de João Monlevade está localizada, não há casos da doença. No entanto, no Vale do Aço, as cidades de Ipatinga e Carantiga investigam três casos de sarampo em crianças.

A preocupação quanto ao sarampo voltou à tona depois que os estados do Amazonas e Roraima registraram um número anormal de casos confirmados, 519 e 272, respectivamente. A concentração dos diagnósticos suspeitos e já confirmados está entre os menores de 5 anos.

Por isso, o ideal é que cada criança nesta faixa etária receba três doses do imunizante: uma tríplice viral (contra caxumba, sarampo e rubéola), entre 6 meses de idade e o primeiro ano de vida, e outra tetraviral (que protege contra as mesmas enfermidades, além da catapora) entre a primeira dosagem e os 15 meses de vida. Por última, a saúde pública indica uma terceira imunização para garantir a proteção além da meta de 95%.

O sarampo é uma doença viral, infecciosa aguda, grave, transmissível, altamente contagiosa e comum na infância. A doença cursa inicialmente com febre, exantema (manchas avermelhadas que se distribuem de forma homogênea pelo corpo), sintomas respiratórios e oculares.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui