Moradores de Barão só podem voltar para casa após laudo da Vale

Moradores foram levados para ginásio (Divulgação)

As famílias que foram obrigadas a sair de casa na madrugada desta sexta-feira (8), em Barão de Cocais, por conta de instabilidade da barragem da mina do Gongo Soco, da Vale, só poderão retornar às residências depois que a mineradora fornecer laudo de estabilidade da barragem.

Cerca de 500 pessoas aguardam o documento. Essas pessoas estão temporariamente alojadas no ginásio da cidade e são das comunidade do Socorro, Piteiras e Tabuleiro. Segunda a  prefeitura municipal, os moradores do Socorro já estão sendo realocados para hotéis da cidade.

Em entrevista à Rádio Super FM 91.7,  o tenente-coronel Flávio Godinho, chefe da Defesa Civil, não disse que não há previsão para a liberação do laudo. “Enquanto permanecer em nível 2, essas pessoas não voltarão às suas casas”, disse.

A Agência Nacional de Mineração (ANM) determinou a evacuação de área à jusante da barragem Sul Superior da mina Gongo Soco, em Barão de Cocais (MG), depois de ser informada pela Vale que a empresa estaria dando início ao nível 1 do Plano de Ação de Emergência de Barragens de Mineração (PAEBM).

A Vale ressalta que a decisão é preventiva e aconteceu após a empresa de consultoria Walm negar a Declaração de Condição de Estabilidade à estrutura.

Como medida de segurança, a Vale está intensificando as inspeções da barragem Sul Superior. Também será implantado equipamento com capacidade de detectar movimentações milimétricas na estrutura.

A Vale está trazendo consultores internacionais para fazer nova avaliação da situação no próximo domingo (10).

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui