Papo Cabeça

Dengue

Sinceramente, nunca vi Monlevade tão infestada de aedes Aegypti como agora. E tenho ouvido dizer que os casos suspeitos de dengue chegam aos montes nos postos de saúde e no hospital. Recordo-me que, não há muitos anos, tivemos uma epidemia na cidade e com uma morte, inclusive. E o cenário era bem parecido: uma cidade imunda, com entulho pra tudo quanto é lado.

Essa semana, percebi que a Prefeitura começou a dar um jeito no mato na região central. Mas e a periferia? Está certo que o combate à dengue passa, necessariamente pela conscientização da população, mas o poder público também precisa fazer sua parte pra não deixar a peteca cair.

Identidade

Essa semana bombaram nas redes sociais aqui de Monlevade reclamações de cidadãos que não conseguem tirar carteira de identidade na Câmara Municipal, porque o sistema de agendamento não comporta a demanda do município, fato agravado pela procura de cidadãos de cidades vizinhas.

Alguma coisa precisa ser feita porque a responsabilidade de confeccionar carteiras de identidade é da Polícia Civil que só faz seis carteiras por dia. Como a Câmara faz muito mais, ela tornou-se referência, mas parece que algo impede que o serviço seja feito na quantidade que o cidadão merece.

Passarinho

Passarinho me contou que o problema com os agendamentos de carteira de identidade, pasmem, é causado pelos próprios vereadores que tiram proveito da situação para ficar bem com o eleitorado.

Eles não chegam a dar carteirada, porque a coordenadora do posto não deixa. Porém, anotam nomes de eleitores e colocam os assessores parlamentares para ligar, todos os dias, para conseguirem uma vaga. E como eles estão dentro da Câmara, já sabem como funciona o esquema e quem fica bem é o vereador com quem ele “presenteou” com a vaga para tirar a carteira.

Culatra

Mas, se por um lado o vereador se beneficia ficando bem com seu capital eleitoral (sei lá se isso seria crime), por outro ele faz com que o tiro saia pela culatra. Isso porque a imagem da Câmara fica deveras prejudicada.
E a crítica do povo é contundente, pois se um serviço de apoio ao cidadão não funciona dentro da própria Câmara, não há muito que se esperar do Legislativo monlevadense. Tomara que algum vereador dê um jeito.

Sugestão 1

Eu tenho duas sugestões: a primeira é abrir um procedimento interno para averiguar se está havendo mesmo essa “vantagem” por parte de algum vereador e acabar de vez com essa imoralidade.
Talvez até retirar do prédio da Câmara esse posto de identificação. A denúncia é séria e não pega nada bem.

Sugestão 2
Se Monlevade firmou parceria com a Polícia Civil para instaurar o Posto de Identificação, porque não fazer com que cada Câmara de cidades da região tenha seu próprio posto?
Assim, desafoga Monlevade e todo mundo fica feliz. O cidadão brasileiro já paga muito imposto para não ter serviços públicos que funcionem com eficácia. Tenham dó, senhores vereadores!

(*)Breno Eustáquio é jornalista e professor universitário

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui