PRF divulga balanço de um mês da Lei do uso de farol baixo durante o dia

A exigência do uso do farol baixo durante o dia nas rodovias de todo o Brasil completou um mês, na última segunda-feira (8), e a Polícia Rodoviária Federal (PRF), divulgou nesta sexta-feira (12), um balanço com os números de ocorrências registradas no período.

Somente em rodovias federais foram 124.180 flagrantes de desrespeito à legislação. Desse total, 12.660 motoristas foram flagrados pela PRF em rodovias que cortam Minas Gerais, conduzindo durante o dia com os faróis apagados.

Em todo o país, no mesmo período (8 de julho a 8 de agosto), a PRF registrou 117 acidentes do tipo colisão frontal em pistas simples, número 36% menor comparado aos 183 registrado no mesmo período de 2015. Foram registrados nestes acidentes 39 óbitos e 67 feridos graves, números respectivamente 56% e 41% menores quando comparados ao mesmo período do ano passado: 88 óbitos e 113 feridos graves. Também foram registrados 86 atropelamentos em rodovias federais, número 34% menor do que os 131 registrados no mesmo período do ano passado. No resultado destes atropelamentos também foi registrado queda no número de mortos – 10 óbitos em 2016 e 16 em 2015 – e de feridos graves – 43 feridos graves em 2016 e 63 em 2015.

A PRF de Minas Gerais divulgou também um balanço, em comparação com o  mesmo período em relação ao ano passado em relação a atropelamentos e colisões frontais.

Atropelamento

Em todo o estado foram contabilizados 10 registros de ocorrências por atropelamento neste ano, uma queda de 52% em comparação ao mesmo período do ano passado com 21 registros. O número de mortos, vítimas de atropelamento foi de um caso no período comparado com o ano passado. O número de feridos graves também teve queda de 69%. Em 2015 foram 13 e neste ano 4 casos.

Colisão Frontal

Foram registradas 49 ocorrências em 2015 e neste ano 18. Uma queda de 63% que deixaram um saldo 20 mortos em 2015 e 04 neste ano. Feridos graves foram 39 no ano passado e 26 casos neste ano, queda de 33%.

artte

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta para Geraldo Ramos Cancelar resposta

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui