PRF divulga balanço do feriado de Semana Santa

A operação tem como objetivo reduzir o número de mortes nas rodovias federais em dadas com feriados prolongados

O feriado prolongado de Semana Santa deste ano teve 26 mortes registradas em rodovias federais e estaduais de Minas Gerais.

Nas rodovias federais que cortam o estado, 18 pessoas perderam a vida, segundo balanço divulgado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) no final da tarde de ontem (17).

Já o levantamento da Polícia Militar Rodoviária (PMRv) mostra que 8 pessoas morreram em rodovias mineiras sob sua juridição nos últimos quatro dias. O número de acidentes nas rodovias estaduais registrado durante a Semana Santa deste ano também caiu em relação ao ano passado que contabilizou 271. Em 2017 foram 181 acidentes.

Os acidentes fatais tiveram uma redução de 53%, de 15 para 7, e o número de mortes de 17 para 8.

Segundo o balanço da Polícia Militar Rodoviária (PMRv), 53 prisões foram registradas por embriaguez ao volante, mesmo número de 2016, e 4.705 infrações por excesso de velocidade. No ano passado foram 3.021.

O número de crimes violentos também caiu 26,32% no período, de 1.459 para 1.075 em Minas Gerais. Mas os homicídios cresceram 18%, de 38 para 45.

De acordo com a PRF os acidentes registrados entre 13 e 16 de abril diminuíram em relação ao feriado do ano passado. Em 2017, ocorreram 146 acidentes, contra os 220 de 2016.

O levantamento também mostra que as batidas com feridos também sofreram uma redução, sendo que em 2016 foram contabilizados 234 casos e neste ano foram 144.

Multas

Nos quatro dias do feriado prolongado, foram aplicadas 7.014 multas por excesso de velocidades em rodovias federais. Já as multas por ultrapassagens irregulares chegaram a 756.

O levantamento feito nesses dias também aponta que dos 5.204 motoristas submetidos ao teste do bafômetro, 12 foram presos e 72 autuados.

Ainda ao longo deste período, 13.240 veículos foram fiscalizados e 2.513 pessoas foram sensibilizadas pelas campanhas educativas de trânsito promovidas pela PRF.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA