Startups de João Monlevade apostam em soluções para o Sevor e para a Atlimarjon

As Startups têm sido a aposta de universitários para criar oportunidades transformadoras para a carreira e para a comunidade onde estão inseridos. É nesse contexto que um grupo de estudantes e profissioanis de João Monlevade desenvolvem soluções para diminuir o tempo de resposta dos atendentes do Serviço Voluntário de Resgate (Sevor) e a certificação para empresas que colaboram com a coleta seletiva implantada pela Associação dos Trabalhadores de Limpeza e Materiais Recicláveis de João Monlevade (Atlimarjon).

As duas propostas foram selecionadas no Hackathon Social, que ocorreu no último final de semana, dentro da programação do Viva Monlevade.

Participaram da maratona universitários e profissionais das áreas de programação, pedagogia, ciências contábeis, administração, designers e outros. Com o objetivo de apresentar soluções inovadoras para atender as demandas do Sevor e da Atlimarjom, os programadores tiveram acesso a dados quer apontavam as dificuldades enfrentados por essas instituições. “O objetivo do hackathon foi propor soluções inovadoras para esses problemas”, disse Lucas Boanerges de Castro, gerente de E-commerce e marketing e aluno do curso de Ciências Contábeis da Faculdade Doctum de João Monlevade.

Lucas Boanerges explixou ainda que os participantes do evento foram divididos em seis times, sendo que três equipes competiram entre si para propor soluções para o Sevor e as outras três em defesa da Atlimarjon.

Como resultado da competição do projeto colaborativo de programação foram selecionadas as Startups Servir e a Selo Verde Atlimarjon. A primeira, consiste na criação de um aplicativo que automatize o controle da escala dos voluntários do Sevor e a otimize o tempo de resposta no atendimento aos chamados. O aplicativo (APP) é um sistema georreferenciado. Isso é, quando receber a ligação, o operador indicará, no mapa do APP, o local da ocorrência. A partir dessa informação, o próprio sistema indicará a melhor rota a ser percorrida pelo motorista, levando em consideração a localização dos voluntários disponíveis para o chamado.

Além disso, o aplicativo conta com um banco de horas do voluntário, que deve atingir no mínimo 72 horas mensais. Esse recurso auxilia os coordenadores na gestão da equipe e também na geração de relatórios e gráficos estatísticos. Os voluntários terão o APP instalado em seu smartphone, para atender aos alertas de emergência disparados pelo operador e acompanhar o banco de horas, podendo também ficar em modo “stand by”. Essa função indica que, apesar de não estar escalado, o voluntário estará à disposição caso seja necessário.

“Foi estimado para desenvolver o APP Servir um custo que pode variar entre R$ 25 mil a R$ 80 mil. De acordo com os tipos de funcionalidades a serem implementadas e custo computacional. A diretora do ICEA (Ufop JM), Anliy Sargeant, já se colocou à disposição para auxiliar o time cedendo as instalações da universidade bem como seus laboratórios para o desenvolvimento”, ressaltou Boanerges.

Equipe Servir (fotos Divulgação)

Selo Verde

Já o Selo Verde Atlimarjon é uma certificação que deve ser entregue às empresas (de qualquer porte) que se comprometem durante o ano a contribuir com a coleta dos materiais recicláveis. O processo pode ser feito dentro da própria empresa ou num local disponibilizado por ela para que a comunidade próxima também seja envolvida na ação.

Após a coleta a proposta é de que a empresa ou a Atlimarjom faça o transporte desse material. Como já teria sido feita a pré-triagem dos recicláveis, não haveria o retrabalho dentro da associação. Ao final do ano seria contabilizado a quantidade de material que cada empresa contribuiu. As que baterem a meta ideal de contribuição receberiam o Selo. Uma maneira de implementação da iniciativa proposta pelos universitários seria a inclusão do selo como um dos pré-requisitos da renovação do alvará da empresa.

Agora, para colocar as ideias inovadoras em prática, as Startups buscam parceiros. Os envolvidos estudam maneiras de angariar os recursos.

Equipe Selo Verde Atlimarjon

Time de quem faz

A equipe Servir é composta por: Diego Candido Souza (Engenharia da Produção na UFOP-JM), Homero Domingues (professor e coordenador de cursos na Faculdade Doctum de JM), João Davi Franco Gonçalves (engenharia de Computação na UFOP-JM), Lucas Boanerges de Castro, (Gerente de E-commerce e marketing, aluno do curso de Ciências Contábeis da Fac. Doctum de JM), Luiz Gustavo (Engenharia da Produção na UFOP-JM), Sellene Gandra Marques (professora e Pedagoga graduada pela UFOP-JM) e Suellem Gandra Marques (designer e graduada em Sistemas de Informação pela UFOP-JM).

Integram o time Selo Verde da Atlimarjon: Letícia Mendes (Engenharia de Produção UFOP, Lucas Leite Gonçalves de Oliveira (Engenharia de Produção UFOP), Maria Laura Gonçalves Reis (Engenharia de Produção UFOP), Matheus Lucas Silva Meirelles Reis (Engenharia de Computação UFOP) e Gabriel Alvarenga de Resende (Engenharia Metalúrgica UEMG).

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui