Taxa mínima de água já tramita no Legislativo monlevadense

O projeto que prevê a implantação da taxa mínima de água já tramita na Câmara de Vereadores de João Monlevade. A matéria é de autoria da prefeita Simone Moreira (PSDB) e promete polêmica e apertada votação. A taxa mínima deve ser votada na próxima semana, antes do recesso parlamentar.

Consta no texto do projeto que a isenção do pagamento da conta de água será concedida as moradores de João Monlevade que consumirem mensalmente até 10m3 de água por mês e que a renda familiar não ultrapasse dois salários mínimos. Os beneficiados também não podem ter débitos junto ao Departamento de Água e Esgotos (DAE). A prefeita justifica ainda que a implantação da proposta vai gerar economia de energia elétrica e insumos químicos usados no tratamento da água. Além disso, a isenção de pagamento vai “forçar” uma economia de água nas residências.

Atualmente, conforme dados da administração pública, 2.505 famílias podem ser beneficiadas com o projeto da taxa mínima. A renúncia anual de receita do DAE com a implantação da proposta vai girar em torno de R$ 670 mil.

 

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta para Reunião da Câmara termina mais cedo por falta de quórum | O Popular Cancelar resposta

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui