Denúncia foi apresentada pelo vereador Thiago Titó

A água distribuída aos moradores do bairro Areia Preta está imprópria para o consumo. O líquido tem chegado às casas em tom de marrom, o que impossibilita o seu uso para tarefas básicas do dia a dia, como lavar roupas ou cozinhar.

Em garrafas plásticas transparentes, o vereador Thiago Araújo (Titó-PDT) coletou amostras da água e levou para reunião da Câmara Municipal na tarde da última quarta-feira (12). Ele apontou que o problema tem acontecido há algumas semanas e vem se repetindo com frequência. A denúncia foi o principal assunto do dia. Até mesmo os vereadores da base do governo da prefeita Simone Carvalho (PSDB) pediram esclarecimentos sobre a questão.

“Fui procurado pelos moradores do bairro Areia Preta, mas especificamente das ruas 26 e 27 que reclamaram sobre a coloração que a água tem chegado a algumas residências. De acordo com eles, a situação é recorrente”, falou Tito que procurou tanto a gerência da ArcelorMittal quanto do Departamento de Água e Esgoto (DAE) para pedir informações.

O vereador explicou ainda que o abastecimento de água em parte do bairro Areia Preta é feito pela usina, enquanto a manutenção da rede é de responsabilidade do município. Segundo ele, a ArcelorMittal alegou que a coleta e o tratamento de água estão normais. O problema então, segundo o DAE, pode ter surgido devido às tubulações antigas do bairro.

Endosando o discurso de Tito, o vereador Belmar Diniz (PT) chamou atenção ao fato de que João Monlevade ser conveniada com a Agência Reguladora de Serviços e Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário do Estado de Minas Gerais (Arsae) e a que a instituição deveria fiscalizar a qualidade da água distribuída na cidade.  Carlos Roberto Lopes (pastor Carlinhos-PMDB) também falou sobre a questão e ponderou que o município paga para que a agência reguladora cumpra o seu papel.

Já Vanderlei Miranda (PR) lembrou que nos últimos dias a Arcelor emitiu comunicado informando sobre manutenção da Estação de Tratamento de Água. Ele, que afirmou que a usina poderia estar escondendo informações, citou também faltou que água em escolas e no Hospital Margarida. Finalizando os embates, o tucano Guilherme Nasser avaliou a situação no Areia Preta como série e pediu urgência na solução do problema.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui