Estudo pode incluir até 60 mil voluntários, sendo 7 mil no Brasil

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), divulgou nota técnica que dispõe sobre as orientações para a realização de testes rápidos para a investigação de infecção pelo novo coronavírus.

A publicação é destinada às farmácias e aos serviços de saúde, públicos e privados, que têm permissão para a realização dos referidos testes.

O documento aborda a execução de testes rápidos, bem como as medidas de prevenção que devem ser adotadas durante a assistência aos casos suspeitos.

A Nota da Anvisa recomenda o uso de testes para pesquisa de antígeno viral, por exemplo, do tipo RT-PCR, exame sorológico que identifica o vírus e confirma a Covid-19, e TR-AG, teste que utiliza cotonete para retirada de material do nariz, para diagnosticar infecção aguda.

Além disso, informa que não é recomendado o uso de TR-AC para diagnosticar infecção aguda.

O documento ressalta ainda que os resultados do TR-AC não devem ser usados isoladamente para determinar, por exemplo, se alguém pode voltar ao trabalho.

A Nota Técnica orienta ainda sobre o cumprimento das ações e normas das Vigilâncias em Saúde municipais e estaduais, bem como do Ministério da Saúde.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui