Até final do ano, obras na BR-381 devem consumir cerca de R$ 800 milhões

Movimento Nova 381: palestra sobre ações da entidade atraiu dezenas na Acimon

As obras de duplicação e melhorias na BR-381, no trecho entre Belo Horizonte até Governador Valadares, devem consumir, até o final de 2017, cerca de R$ 800 milhões. A cifra astronômica é calculada desde o início da intervenção na rodovia, em 2015, e foi comentada pelo presidente da Fiemg Vale do Aço, Luciano Araújo, que também coordenada o Movimento Nova 381, criado pela entidade que é gestor. Ele esteve em João Monlevade na noite da última terça-feira (21), e ministrou palestra sobre o assunto. O evento foi organizado pela ArcelorMittal Monlevade, em parceria com o Rotary Club de João Monlevade e a Acimon.

Segundo dados apontados por Luciano, já foram investidos nas obras R$ 400 milhões. “Só para se ter ideia, no ano passado, o orçamento da obras foi R$ 160 milhões e nesse ano conseguimos mais R$ 340 milhões. Ainda há céticos que não acreditam na duplicação. Mas fica impossível que não se conclua a obra devido a quantidade de recursos que já foram aplicados. Infelizmente muitas pessoas são céticas com relação a essa obra e não acreditam que vá sair”, pontuou Luciano Araújo.

O líder do Movimento Nova 381 destacou ainda que até o final do ano o viaduto que está próximo ao trevo de Caeté [lote 7 da obra] deve ser concluído e entregue para ser utilizado. “Estamos trabalhando para que os 20 quilômetros de terraplanagem [no mesmo trecho], que estão prontos inclusive com sub-base, seja concretado ainda nesse ano”, falou.

Outro ponto em que as obras devem avançar fica no lote 3.1 das obras – trecho entre Nova Era e Timóteo. Os serviços estão parados no lugar desde que a empresa responsável decretou falência e novo processo precisou ser elaborado para contratar outra firma para terminar a obra.

Depois do impasse, as atividades nesse trecho retomam em março, quando os túneis em Antônio Dias, prontos de 2015, serão ligados por sistema binário. “Esperamos que até no ano que vem também estejamos com esse lote concluído. Nele temos os túneis que já estão prontos desde 2015, e que dá à sociedade a sensação que não ligam nada a lugar nenhum”, comentou.

Agenda de Convergências

Ainda durante o encontro, a exemplo do que ocorre na região do Vale do Aço, Luciano Araújo sugeriu a criação de uma “Agenda de Convergências” com apoio e união de lideranças de João Monlevade e região. Dentro da proposta, um dos assuntos discutidos é a duplicação da 381. Os integrantes devem apoiar e monitorar as obras de duplicação da rodovia, com projetos comuns que visam acelerar o desenvolvimento econômico e social.

Outra proposta é promover ações para alcançar 100 mil participantes no Movimento Nova 381. A adesão ao movimento pode ser feito por cadastro no site www.nova381.org.br. “Estamos com 55 mil pessoas cadastradas e temos o desafio de chegar no mínimo a 100 mil. João Monlevade e lideranças estão engajadas”, comentou Luciano.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui