Atlético-MG passa pela Ponte Preta no Horto e sai da zona de rebaixamento

Cazares marcou o segundo gol do Galo na partida

A qualidade do elenco atleticano é evidente. Mas faltava o encaixe, a articulação para que a engrenagem funcionasse e o time atuasse bem. No duelo com a Ponte Preta, ficou claro que o nome dessa adaptação que faltava veio do Equador e se chama Cazares. Puxando tabelas, dando passos e lançamentos, dribles desconcertantes e, principalmente, unindo os setores da equipe, o jovem meia foi o maestro na primeira vitória do Galo sobre o comando do técnico Marcelo Oliveira.

Anúncios

Com uma atuação segura, um ataque rápido e com boas triangulações, sem sustos defensivos – muito em decorrência do retorno de Erazo -, o alvinegro fez a sua melhor atuação no Campeonato Brasileiro, venceu a segunda partida na competição, por 3 a 0, com gols de Leandro Donizete, Cazares e Carlos, em partida válida pela nona rodada, e deixou a zona de rebaixamento. A posição alvinegra vai depender do encerramento da rodada. Agora, o Atlético terá uma sequência de mais três jogos em casa, contra Corinthians, América e Botafogo, podendo se aproximar das primeiras posições.

Continue lendo após o anúncio

Para mudar a postura, evitar as derrotas e o excesso de erros e voltar a vencer no Brasileirão, o técnico Marcelo Oliveira apostou nas mudanças. Erazo, após disputar a Copa América pelo Equador, formou a zaga com Leonardo Silva. Pela instabilidade defensiva, o treinador preferiu entrar com volantes mais marcadores, como Leandro Donizete e Júnior Urso, preterindo um jogador mais técnico, caso de Rafael Carioca. No meio, a tão carente posição de armador foi ocupada por Cazares, que também voltou a seleção e com muita qualidade. Dribles, movimentação, velocidade e qualidade técnica marcaram atuação do jogador. Na frente, o improvisado Patric deu lugar a Clayton.

As alterações, aliadas ao sistema defensivo da Ponte, fizeram o Galo dominar o confronto na primeira etapa. A marcação estava adiantada e ajustada, os rivais tinham poucas chances de finalização, Cazares e Clayton deixaram o time mais leve e a equipe passou a evitar os chutões e a priorizar o toque de bola. O gol parecia uma questão de tempo e o goleiro da Macaca resolveu ajudar. Donizete chutou de longe, no meio do gol, e João Carlos engoliu um frangasso, aos 23 minutos.

Cinco minutos depois, o meia equatoriano reforçou, ainda mais, o quanto ele estava fazendo falta. A boa atuação foi premiada com um golaço. Após um contra-ataque rápido, Marcos Rocha tocou para Cazares, que deu um corte seco no zagueiro e mandou no ângulo, ampliando a vantagem do Galo, que manteve o bom nível de atuação até o fim da primeira etapa.

No segundo tempo, como a Ponte Preta adiantou o time tentando correr atrás do prejuízo, sobrava mais espaços para o Atlético. O aumento da força ofensiva dA nova formação do alvinegro de Minas e a presença do armador Cazares fizeram crescer o futebol de alguns jogadores como Clayton, que deu boas arrancadas pela direita e Robinho, que foi mais produtivo jogando mais à frente e mesmo voltando para recompor.

Com o passar da etapa final, o Galo segurou um pouco mais o ritmo, mas seguiu perigoso, desperdiçando boas chances de ampliar com Clayton, Erazo e Leonardo Silva. Quem não desperdiçou foi o atacante Carlos. Ele recebeu de Leandro Donizete, no meio da defesa da Ponte, e tocou na saída do goleiro, ratificando a vitória e a ótima atuação do Galo.

 

Fonte: Otempo

Anúncios
Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui