Audiências no Fórum de João Monlevade serão gravadas em audiovisual digital

Com a economia de tempo é possível agendar mais audiências. Processo chega a Monlevade em março

As declarações em audiências judiciais já começaram a deixar de ser ditadas pelo juiz ao escrevente e passaram a ser gravadas em audiovisual digital nos processos e inquéritos que têm andamento no Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG). Trata-se da expansão do Projeto de Implantação de Solução Informatizada para Gravação de Audiências que chega a João Monlevade no início do mês de março. As comarcas de Itabira, Rio Piracicaba e Santa Bárbara também serão beneficiadas com a inovação, no mesmo mês.

O juiz da 4ª Vara Criminal de Belo Horizonte, Haroldo André Toscano de Oliveira, comenta que a plataforma dinamizou a realização de audiências. Segundo o magistrado, com a economia de tempo é possível agendar mais audiências.

A juíza da Vara Infracional da Infância e da Juventude, Valéria da Silva Rodrigues, avalia que a plataforma deve ser aperfeiçoada para que possua módulos de regravação e transcrição das audiências. Segundo ela, são realizadas, em média 30 a 40 interrogatórios e 20 a 30 audiências de instrução por dia, o que dificulta o acesso rápido às informações. Superada essa observação, a magistrada disse que o sistema vai trazer grandes avanços e agilidade nos julgamentos e no cumprimento dos prazos processuais.

O superintendente de informática do TJMG, desembargador Wilson Benevides, comenta que estudos já foram iniciados para transcrição e degravação dos áudios para acesso, inclusive, aos desembargadores quando do julgamento de recursos.

O desembargador também explicou as gravações são armazenadas em arquivos e mídia de forma segura. “A Solução Informatizada para Gravação de Audiências é uma ferramenta que permite ao magistrado maior produção e eficiência, com consequente redução do tempo das audiências”, frisou.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui