Aumenta o número de casos de febra amarela em cidades da região. Em São Gonçalo do Rio Abaixo, os casos chegam a quatro, com três deles confirmados. Rio Piracicaba tem uma pessoa infectada com a doença e Barão de Cocais registra duas mortes e investiga outras duas. Ao todo, segundo a Assessoria de Comunicação da Prefeitura, são dez casos suspeitos de febre amarela na cidade. A cobertura vacinal no município chega 96,74%, sendo que, neste mês, 4.456 pessoas foram imunizadas. Ainda conforme informações do Executivo, além da intensificação da vacinação, com aumento do horário de atendimento e visita às moradias na área rural, foi realizado mutirão de limpeza que resultou na retirada de oito caminhões de lixo da cidade.

Anúncios

A coordenadora da Vigilância em Saúde de São Gonçalo do Rio Abaixo, Elaine Fagundes, declarou que o município vem enfrentando dificuldades em vacinar parte da população, que não aceita a vacina contra a febre amarela. Mesmo assim, segundo a profissional, a administração tem intensificado as ações de prevenção à doença no município, inclusive, com visita casa a casa na região rural.
“Repassamos informação sobre a importância da vacinação a todos os moradores e ainda enfrentamos a resistência de alguns deles. Intensificamos a vacinação na cidade, estamos fazendo o controle vetorial de bloqueio ao mosquito transmissor da febre amarela [com uso de aplicação de veneno] e reuniões com todos os profissionais da saúde”, pontuou Elaine.

Continue lendo após o anúncio

Em boletim divulgado nesta terça-feira (30) pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), Santa Bárbara aparece com duas confirmações de casos de febre amarela na cidade. No entanto, há informações não oficiais que os casos da doença no município sejam maiores, chegam a nove suspeitas. A assessoria do prefeito foi procurada, mas não se manifestou.

As demais cidades que integram a regional de Itabira, incluindo João Monlevade, não apresentaram contaminação por febre amarela. Os boletins da SES são divulgados uma vez na semana.

Minas

Desde o início do 2º período de monitoramento da Febre Amarela (julho/2017 a junho/2018), foram confirmados 81 casos da doença em Minas Gerais, destes casos, 36 evoluíram para óbito e outros 208 casos continuam em investigação.
Atualmente, a cobertura vacinal acumulada de febre amarela no Estado de Minas Gerais está em torno de 83%. Ainda há uma estimativa de 3.299.174 não vacinados, especialmente na faixa-etária de 15 a 59 anos, que também foi a mais acometida pela epidemia de febre amarela silvestre ocorrida em 2017.

Anúncios
Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui