Avenida Armando Fajardo é destruída aos poucos com aval da Prefeitura

Vários pontos na avenida estão com o canteiro quebrado (fotos: Bell Silva)

A avenida Armando Fajardo, uma das principais vias de acesso ao centro da cidade de João Monlevade, que corta  os bairros Belmonte, Loanda e Cruzeiro Celeste está cada dia mais feia e sem cuidados. O canteiro central, que divide as pistas, tem  dezenas de aberturas viradouros improvisados para carros que acessam comércios ao longo da via.

Os “buracos” no canteiro são pratos cheios para acidentes e imprudências, o que é registrado diariamente pelos órgãos de segurança. Além disso, não possuem sequer uma sinalização na pista onde os canteiros foram arrancados.

Em meados dos anos 1990, os canteiros foram construídos para dar mais segurança para motoristas e pedestres. Além dos canteiros, à época, foram plantados coqueiros e gramas para deixar, além de mais segura, mais bonita para ser uma das portas de entrada da cidade.

Na gestão do ex-prefeito Teófilo Torres, toda a extensão da avenida passou por reformas e foram investidos no lugar cerca de R$ 2,4 milhões em obras de revitalização. A promessa da época era recapeamento asfáltico, construção ao longo da via de rampas de acessibilidade, alteamento de bueiros, coletores e poços de visita, além de reassentamento de meios-fios. Pelo visto, as melhorias feitas estão ficando no meio do caminho.

Há pontos que não há divisão de pistas e nem sinalização, o que pode causar acidentes

Alberto Lima

A avenida Alberto Lima, no bairro Sion, segue o mesmo caminho que a Armando Fajardo. Já houveram intervenções no canteiro central para benefício de alguns comércios, o que acaba descaracterizando a via.

Sem planejamento, Settran alega que aberturas são autorizadas

Questionado sobre as aberturas no canteiro central da Armando Fajardo, o chefe do Setor de Trânsito e Transporte da Prefeitura (Settran), Brenno Lima, disse que “toda e qualquer intervenção em via pública, tem que ter autorização. Quanto a aberturas nos canteiros central da avenida, o mesmo é autorizado conforme solicitação e posterior verificação in loco. É notório o crescimento comercial na avenida nos últimos anos, com grandes galpões que entram e saem carretas para carga e descarga neles. Foram autorizados algumas aberturas, sim, ao longo desses anos. E com certeza haverá outras. A cidade não para de crescer”, justificou.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui