Baixo efetivo preocupa comandantes das polícias de João Monlevade

Comando das polícias Civil e Militar falaram sobre segurança pública com vereadores de João Monlevade

A segurança pública foi pauta de uma reunião entre os vereadores e os comandos das polícias Militar e Civil do município: major André Pedrosa e delegado Anderson Vieira, respectivamente. O encontro ocorreu na tarde desta quarta-feira, 15, e precedeu a reunião ordinária do Legislativo monlevadense.

O major André, que responde pelo comando da 17ª Cia. de Polícia Militar Independente há uma semana, disse o principal desafio da Polícia Militar é o baixo efetivo e ainda a questão de infraestrutura, em especial as viaturas. “Durante um plantão, temos uma média de um militar para 20 mil habitantes. É algo realmente desafiador e que trabalhamos diariamente para suprir”, pontuou o comandante.

Ainda durante a conversa com os vereadores, major André informou que João Monlevade terá um subcomandante, que virá de Governador Valadares. Segundo ele, será um capitão, que traz grandes experiências para o município. “Em especial com o sistema de monitoramento por câmeras. Um trabalho iniciado pelo último comandante e que vamos otimizar”, declarou.

Já sobre a Polícia Civil, o delegado Alberto também destacou como dificuldade o número de policiais. “O que para a PM é um número de turno, para nós, policiais civis, é uma realidade. Trabalhamos com um policial para quase 70 mil habitantes. Ainda reforço com o exemplo quem em nossa regional havia 13 delegados. Hoje são 7. Temos 1/5 do efetivo da Polícia Militar”, disse. O delegado ainda citou outros serviços que demandam muito da instituição. “Emissão de carteiras de identidade, vistoria de veículos e outros parecem simples, mas não são. Em especial agora, em que estamos centralizando as delegacias em um só endereço. Mudanças trazem transtornos, mas será muito benéfico à população”, disse o delegado.

IML e Posto de Identificação também são citados

O presidente da Câmara, Djalma Bastos (PSD) destacou a parceria da Câmara com a Polícia Civil, no que diz respeito ao Posto de Identificação. Segundo ele, a intenção é unificar a emissão do documento na Câmara Municipal.

“Estamos estruturando a casa para isso. Já conversei com a prefeita, que apoia em definitivo esta ação. Vamos estreitar esse diálogo com a Polícia Civil ”, disse Djalma. O presidente ainda revelou que outra ação será trazer o Instituto Médico Legal (IML) para João Monlevade, por meio da soma de forças entre polícias, Prefeitura e Câmara. O delegado apoiou a iniciativa. “Poucos dão valor ao IML, mas este serviço é de extrema importância, em especial para os serviços da Polícia Civil”, disse.

Publicidade

1 COMENTÁRIO

  1. Mentira. Falta mesmo é rota, patrulhamento. Não essas viaturas paradas nos quartéis,postos de combustíveis ou na casa de policiais.nem todos os habitantes precisa dá polícia com urgência ao mesmo tempo.é melhor repensarem o povo não é Burro! Mais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui