O Governo do Estado aposta na diversificação da oferta turística das regiões que abraçam a rota (Omar Freire/Imprensa MG)

A maior rota de turismo religioso do Brasil foi instalada pelo Governo de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Estado de Turismo (Setur-MG), em parceria com a Arquidiocese de Belo Horizonte, no último domingo (3). O evento, em Caeté, contou com a participação do governador Fernando Pimentel.

Do Santuário Nossa Senhora da Piedade, em Caeté, no Território Metropolitano, um grupo de peregrinos partiu em direção ao Santuário de Aparecida, em São Paulo. Durante 37 dias, fiéis vão passar por 32 municípios mineiros e seis paulistas, num percurso de mais de mil quilômetros.

A rota perpassa pelos seguintes municípios mineiros: Caeté, Sabará, Raposos, Barão de Cocais, Nova Lima, Santa Bárbara, Rio Acima, Catas Altas, Itabirito, Mariana, Ouro Preto, Ouro Branco, Congonhas, Conselheiro Lafaiete, São Brás do Suaçuí, Entre Rios de Minas, Casa Grande, Lagoa Dourada, Prados, Tiradentes, Santa Cruz de Minas, São João del-Rei, Carrancas, Cruzília, Baependi, Caxambu, São Lourenço, Pouso Alto, São Sebastião do Rio Verde, Itamonte, Itanhandu e Passa Quatro. E pelos municípios paulistas de Cruzeiro, Cachoeira Paulista, Canas, Lorena, Guaratinguetá e Aparecida.

Em Minas Gerais, o trajeto está todo sinalizado para que o peregrino possa se orientar com segurança. Totens instalados em locais estratégicos indicam as direções. Placas indicativas apresentam o mapa geral do caminho, mostrando os municípios do percurso.
A peregrinação, chamada Romaria 550, marcou o lançamento oficial do Caminho Religioso da Estrada Real – CRER. A Romaria 550 celebra os 250 anos de peregrinação ao Santuário Nossa Senhora da Piedade, padroeira de Minas Gerais, e os 300 anos da aparição da imagem de Nossa Senhora Aparecida, santa protetora do Brasil.

Para o arcebispo metropolitano de Belo Horizonte, Dom Walmor Oliveira de Azevedo, “a singularidade do Caminho Religioso da Estrada Real reside na riqueza e na beleza do seu conjunto paisagístico e arquitetônico, particularmente sacro. Esse é um dos projetos com maior potencial turístico de Minas e, por isso, merece atenção de todos os mineiros. O CRER precisa estar no coração de cada mineiro, nos projetos empresariais e nos investimentos governamentais”.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui