Câmara aprova anteprojeto que cria Restaurante Popular

O vereador Ermelindo Ferreira disse que a criação do programa vem ao encontro das necessidades do trabalhador e da população que passa por um momento difícil até mesmo para ter uma boa alimentação

Os vereadores aprovaram na quinta-feira (8), em reunião ordinária, o anteprojeto 008/2017 de autoria dos vereadores Ermelindo Ferreira (PSL) e do vice-presidente da Câmara Carlos Augusto Bicalho Fonseca “Guto” (PDT), que cria o Programa Restaurante Popular. O modelo sugerido pelos vereadores é diferente do praticado pelo Governo Federal e a implantação e coordenação do restaurante ficarão sob responsabilidade da Secretaria Municipal de Assistência Social.

Carlos Augusto Bicalho Fonseca defendeu que o projeto seja gerenciado pelo município, o que facilitará sua implantação e gestão. “O restaurante popular terá a finalidade de atender trabalhadores e pessoas que realmente necessitam de alimentação. Não estamos criando um projeto para competir com os restaurantes da cidade, mas sim, estabelecer um trabalho social voltado para quem necessita”, explicou.

O vereador Ermelindo Ferreira disse que a criação do programa vem ao encontro das necessidades do trabalhador e da população que passa por um momento difícil até mesmo para ter uma boa alimentação. “É preciso agir em favor dos trabalhadores da nossa cidade que acabam se alimentando nos restaurantes privados e no final do mês fica oneroso, enquanto outros preferem ir a pé para casa perdendo todo horário de almoço e chegando exaustos. Temos que criar esse programa para levar mais qualidade de vida a essas pessoas”, defendeu.

Ermelindo Ferreira lembrou ainda que em Barão de Cocais, projeto como este proposto por eles funcionava muito bem. “Lá era o projeto Prato Popular, mantido pela Gerdau. Aqui, podemos ter um projeto deste mantido pela Prefeitura, empresas, associações e voluntários. O que queremos é atender quem necessita”. Ele disse que além de atender as pessoas o projeto vai fomentar a economia da cidade com alimentos sendo adquiridos dos produtores da agricultura familiar. “Temos que pensar de maneira mais abrangente já que além do restaurante ajudar quem precisa o município estará comprando legumes e tantos outros alimentos dos nossos produtores rurais”, defendeu. Outro ponto levantando por Ermelindo Ferreira é que esse projeto possa ocupar um espaço na Escola Estadual Dom Bosco que é uma área central da cidade.

O anteprojeto agora segue para a análise da Prefeitura Municipal de Santa Bárbara que decidirá se o transforma em projeto de lei e retorna ao Legislativo para ser colocado em votação.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui