Na abertura da audiência, Padre Marco José fez uma breve explanação sobre o surgimento da Campanha da Fraternidade

A Câmara Municipal de João Monlevade realizou na noite de terça-feira, 21, audiência pública sobre a Campanha da Fraternidade 2019. Este ano, o tema é “Fraternidade e Políticas Públicas” e tem o objetivo de estimular a participação popular na elaboração de políticas públicas que visem o bem comum e a promoção da fraternidade. O lema da Campanha é “Serás libertado pelo direito e pela justiça”. A audiência foi solicitada pelos vereadores Gentil Bicalho (PT) e Cláudio Cebolinha (PTB).

O evento contou ainda com a presença do presidente da Casa, Leles Pontes (PRB), e do vereador Fábio da Prohetel (PP); representantes de entidades e da comunidade; do padre Marco José de Almeida (Paróquia Nossa Senhora da Conceição); padre Guilherme Brandão Ferreira (Paróquia São Luís Maria de Montfort); pastor Jésus Reis (Igreja Batista Lagoinha Monlevade); pastor Juliano Lafavette Maia (Igreja Batista do Evangelho Pleno) e pastor Luciano Deodato Marques (Igreja Quadrangular).

Na abertura da audiência, Padre Marco José fez uma breve explanação sobre o surgimento da Campanha da Fraternidade. “A Campanha da Fraternidade é realizada nos moldes das Conferências Latino-Americanas que tem o objetivo de levar o cidadão a ver, julgar e agir de acordo com aquilo que lhe foi proposto. Mas como agir não sabendo ver e julgar? Aquilo que não se trabalha não permanece vivo. Quantas propostas importantes poderiam ter surgido a partir das campanhas da Fraternidade realizadas até aqui?”, questionou o padre.

De acordo com o padre, para se construir políticas públicas que visem o bem estar comum é preciso somar forças. “O que acontece é que ficamos apenas nas ideias e não partimos para a prática, para algo concreto. É necessário que os três poderes se unam para mudar essa realidade, pois não adianta trabalhar cada um por si e não pensar na coletividade. E a população também deve ser mais presente. Só se constroem políticas públicas com a participação de todas as esferas da sociedade”, salientou.

Já o pastor Jésus denominou o que é fraternidade. “Fraternidade é cuidar do próximo. Aquilo que eu quero para mim eu doo ao outro. Que possamos quebrar nossos orgulhos e nos unamos pensando sempre no coletivo. Cada um tem algo a dar que possa mudar a nossa realidade. É agindo assim que vamos conseguir construir políticas públicas eficientes a fim de melhorar de forma contínua o bem estar de toda a sociedade”, comentou.

Em seguida, o pastor Luciano, que realiza trabalhos sociais junto a jovens em situação de risco, disse que é preciso criar políticas públicas que ofereçam melhores oportunidades a esse público. “Precisamos mudar a realidade de nossos jovens que, por não terem acesso à escola e ao lazer, acabam entrando no mundo das drogas, do crime, e se perdem tão cedo. Só vamos conseguir mudar isso se todos trabalharem pensando no todo, no coletivo”, ressaltou.

Para o presidente Leles Pontes, o tema levantado pela Campanha da Fraternidade este ano deve ser trabalhado de forma contínua. “Precisamos unir forças para construirmos políticas públicas de qualidade para a saúde, educação, segurança pública. Esta Casa está à disposição de todos para que, juntos, possamos apresentar propostas que visem sempre o bem estar da população”, concluiu.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui