O cantor sertanejo Juliano Cezar, de 58 anos, morreu na madrugada desta terça-feira (31) depois de sofrer um infarto fulminante enquanto fazia um show em Uniflor, no norte do Paraná.

Segundo a assessoria de imprensa do artista, Juliano chegou a ser socorrido em um posto de atendimento médico perto do local do evento, mas ele não resistiu.

Ainda de acordo com a assessoria, ele recebeu massagem cardíaca e injeções de adrenalina por mais de uma hora e meia, mas, sem sucesso.

O corpo do Juliano Cézar será velado em Ribeirão Preto (SP), onde morava, das 18h de terça-feira até as 9h de quarta-feira (1º). Na quarta, haverá outro velório, do meio-dia às 15h, em Passos (MG) – cidade natal do cantor, onde ele será sepultado.

Carreira 

Foram 30 anos de estrada, 10 CDs e 3 DVDs lançados. Juliano Cezar era um nome frequente na playlist dos amantes do country brasileiro, preservando a cultura e o estilo inconfundíveis que o deixaram conhecido nos quatro cantos do país e há 30 anos, despontou no cenário musical com a canção ‘Não Aprendi Dizer Adeus’, que lhe rendeu o Prêmio Sharp como ‘cantor revelação’. Pouco tempo depois, a indicação ao Grammy Latino com ‘Melhor Álbum Romântico’.

O jeito simples de ser, o amor pelo campo, pelos rodeios e a voz inconfundível o transformaram no mais importante expoente do gênero, proporcionando encontros históricos, como em 2015 com Garth Brooks, em Barretos. Com uma carreira gloriosa, sucessos como ‘Rumo à Goiânia’, ‘Faz Ela Feliz’, ‘Bem Aos Olhos da Lua’ e ‘Cowboy Vagabundo’ são lembradas até hoje pelo público sertanejo.

 

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui