Um homem identificado como Gilson Martins Drummond, 43 anos, foi encontrado morto em uma propriedade rural na localidade conhecida como Ponte Coronel, em São Gonçalo do Rio Abaixo por volta das 10h30 da manha desta segunda-feira (26). O corpo da vítima apresentava uma perfuração provocada por disparo de arma de fogo.

Um eletricista, de 42 anos, que realizava um trabalho na propriedade foi quem localizou o corpo da vítima e acionou a Polícia Militar.

Para a polícia ele contou que havia sido contratado para efetuar serviços na rede elétrica da sede da propriedade e que quando chegar ao local chamou pela vítima, que é caseiro da fazenda, porém não foi atendido. Ele viu a porta da casa do caseiro aberta e imaginou que a vítima estivesse andando pela fazenda trabalhando com o gado, e assim continuou o serviço de eletricista na parte externa até que a vítima chegasse para lhe passar a chave da casa sede e assim continuar os serviços no interior dela.

Ainda segundo relatos da testemunha, ao perceber que o caseiro não apareceria, resolveu entrar na casa dele quando deparou com a vítima caída e sem os sinais vitais e acionou a Polícia Militar.

Os militares isolaram a área e acionaram a Perícia Técnica da Polícia Civil que, durante os trabalhos, constatou ferimentos na parte superior da boca da vítima e no chão ao lado do corpo, um pedaço de madeira em formato de uma coronha artesanal de arma de fogo, popularmente conhecido como garruchão. No chão, entre as pernas da vítima, havia também um cano de arma de fogo, aparentando ser de fabricação artesanal conhecida como polveira, aparentemente descarregada.

A polícia suspeita que o disparo possa ter ocorrido de forma acidental, mas somente exames de necropsia poderão apontar o que de fato teria ocorrido no local.

O dono da propriedade contou para a polícia que a vítima trabalhava no local a cerca de um ano e que era um excelente funcionário.

A perícia recolheu no local 02 armas de fogo tipo garruchão e vários outros objetos, tendo após os trabalhos encaminhado o corpo ao IML de Itabira.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui