Caso de estudante estuprada perto da Uemg pode ser falso

Na época da denúncia do crime de estupro, universitários fizeram vários protestos pedindo socorro pela falta de segurança nos arredores da UEMG (Bell Silva)

O caso da estudante que denunciou em setembro do ano passado um estupro que teria sofrido perto do campus da Uemg de João Monlevade pode ser falso. A informação tornou pública na noite desta quarta-feira (11) pelo vereador Vanderlei Miranda (PR).

Da Tribuna o parlamentar comentou que teve acesso aos fatos por meio de amigos em comum entre a estudante e ele, que tudo pode ter sido armado pela universitária.

Depois do pronunciamento do vereador, nossa reportagem entrou em contato com a delegada Camila Batista Alves, que conduz o inquérito que apura o caso, que está sob sigilo. Ela não negou e nem afirmou a situação contada pelo vereador. Disse apenas que as investigações estão em fase final de apuração e que ainda não pode se manifestar, oficialmente, sobre o caso que está sob segredo de Justiça. Assim que tiver um posicionamento da Justiça, vai convocar uma coletiva com a imprensa.

No início do mês passado a Polícia Civil chegou a divulgar o retrato falado de um suspeito, baseado nas informações relatadas pela vítima.

O suposto estupro ganhou repercussão estadual e, na época, mobilizou os universitários que fizeram passeatas pedindo mais agilidade das polícias militar e civil no caso.
Na época houve muitas críticas por parte da população contra a polícia, que questionava a “lentidão” das investigações de um caso que, até então, teria sido um dos mais graves do gênero registrado na cidade.

Durante as investigações um homem chegou a ser conduzido e ouvido pela polícia e foi liberado porque não foi reconhecido pela estudante. Caso seja confirmada a falsa comunicação do crime, a estudante poderá responder na Justiça pelos atos.

Aguarde mais informações sobre a caso.

Publicidade

2 COMENTÁRIOS

  1. Muito estranha a versão apresentada pela suposta vítima. Horário da saída da escola, muita gente na rua e o local nos fundos do presídio.

  2. Que desserviço desse vereador, perdeu uma ótima oportunidade de ficar calado.
    O que ele ganhou falando isso?!Qual interesse dele a levantar tal questão?! Será que ele está tentando acobertar quem e/ou o quê?
    Se eu fosse a estudante metia um processo nos fundilhos desse proxeneta e ainda denunciaria ele na câmara e no mistério público para que fosse afastado de suas funções.
    É para isso que essa corja se instala: para vilipendiar e depreciar o povo ainda do que naturalmente já é.
    ” O tolo calado se torna sábio.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui