O banco de dados do sindicato registra ainda mais detalhes. Segundo as informações, do total de demitidos, 915 eram mulheres e 537 homens

De acordo com dados divulgados pelo Sindicato dos Comerciários de Itabira e Região, o comércio itabirano perdeu exatos 1.457 funcionários no último ano. A maioria das homologações dos contratos de trabalho foram realizadas pela própria instituição e, segundo o presidente, Dawson Campos Passos, as demissões renderam R$ 7,7 milhões em indenizações ao longo de 2016.

O banco de dados do sindicato registra ainda mais detalhes. Segundo as informações, do total de demitidos, 915 eram mulheres e 537 homens. Destes, 78 eram menores de 18 anos e 1.373 maiores. Além disso, 28 demissões tiveram aviso prévio descontado, 633 indenizados e 786 trabalhados.

Das 1.457 perdas, duas foram por morte, uma por iniciativa do empregador, com justa causa, 79 por término de contrato de menor aprendiz, 40 a pedido do próprio empregado e 1.335 por iniciativa do empregador, mas sem justa causa. “Esses números de 2016 nos deixa apreensivos. Para uma cidade do tamanho de Itabira, com o número de empresas que temos, principalmente no comércio, ter quase 1.500 demissões é considerado um número alto. Sei que enfrentamos dificuldades econômicas em nosso país, mas o comércio itabirano tem plenas condições de manter os seus postos de trabalho mais estáveis, afinal de contas, temos uma cidade com economia movimentada o que torna os empresários capazes de manter seus funcionários empregados”, opinou Dawson Passos.

Outros dados que chamam a atenção é o tempo de serviço dos demitidos. Do total, 33 saíram com menos de um ano de serviços prestados, 710 com mais de um ano, 300 com mais de dois anos, 149 acima dos três anos de contrato de trabalho, 105 funcionários com mais de quatro anos, 44 acima dos cinco anos e o restante, 117, variando entre seis e 15 anos de serviços prestados.

“As expectativas para 2017 é que estes números se invertam, porque na verdade eles podem ser ainda maiores, já que os empregados com menos de um ano de serviço podem realizar as rescisões fora do sindicato, aqui nós só fazemos as homologações de quem tem mais de um ano na empresa. O que queremos são mais empregos do que demissões, queremos que os itabiranos tenham mais oportunidades e que os empresários pensem mais antes de demitir”, concluiu o sindicalista.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui