Muito lixo foi deixado no local após evento no Parque do Areão realizado no último final de semana

A cessão do Parque do Areão, em João Monlevade, pode ser regulamentada por lei municipal com intuito de preservar o local. A iniciativa é do vereador do PT, Belmar Diniz, e surgiu após show realizado no lugar na sexta passada (17). Isso porque, um mar de sujeira e lixo foi deixado no Parque e só recolhido cinco dias após o evento.

Essa não é a primeira vez que o Parque, único local para a realização de eventos com grande público na cidade, é alvo de críticas após as festas. “João Monlevade é carente de lazer e sabemos que o espaço usado, o Areão, é cedido após assinatura de termo no qual consta que a limpeza no local deve ser feita logo após o término do evento. Ma, a resposta que temos é lixo. Para que existe Termo de Ajustamento de Conduta se não está sendo cumprido? Hoje [quarta-feira, dia 22] que foi contratado grupo para limpar local. Foram recolhidos mais de 40 sacos de 100 litros de lixo. Precisamos fazer uma lei de cessão de uso, principalmente para preservarmos a área ambiental”, pontuou o vereador que disse que irá procurar órgãos ambientais na cidade para a elaboração da legislação.

Além da sujeira, o parlamentar destacou que os banheiros públicos do Parque estão destruídos. Com fotografias, ele apontou vasos sanitários, pias e paredes quebradas. Vazamento e vandalismo também foram detectados. “Que responsabilidade temos com o patrimônio público? Com o show, a Prefeitura recolheu R$ 18 mil em impostos e outros R$ 5 mil foram doados para o Hospital Margarida. E o que o meio ambiente ganhou? E o Parque? Precisamos criar mecanismos de compensação para impacto ambiental”, argumentou.

Belmar não foi o único que reclamou sobre o uso do Parque. O vereador pedetista, Antônio de Paula Magalhães (Toninho Eletricista-PHS), contou que no último domingo (19), foi chamado por moradores do bairro Satélite para checar a sujeira deixada no local por barraqueiros. Ele também apontou que áreas públicas aos arredores do Parque foram tomadas por pessoas que aproveitaram o grande fluxo de carros e cobraram estacionamento dos motoristas.

“Terceiros ganharam dinheiro com estacionamento em área que é da Prefeitura. Usar dinheiro de área pública para estacionamento cabe à administração rever isso”, frisou. Além disso, Toninho denunciou que as luzes do Parque ficaram acessas dias antes e depois do evento. Sobre a questão, o colega Belmar Diniz disse que consta no termo de cessão de uso do Areão que o pagamento da conta de luz do lugar é de responsabilidade dos promotores da festa.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui