Sistema de compartilhamento é controlado por aplicativo de celular
Divulgação

Sistema de compartilhamento é controlado por aplicativo de celular

A GM aposta no compartilhamento de carros como uma das soluções de mobilidade para o futuro apoiada no sistema OnStar.  De acordo com o atual presidente da GM na América do Sul, Santiago Chamorro, alguns fatores contribuíram para que essa ideia avançar. Entre os principais estão os seguintes:  crescimento do interesse do brasileiro pelo mundo virtual, a revolução digital e o problema do trânsito que se agrava nas grandes cidades.

Num primeiro momento, a novidade vai funcionar apenas dentro da própria GM e em condomínios em São Paulo. Na empresa, são 800 empregados cadastrados e 220 usuários ativos compartilhando uma frota de 10 carros, todos equipados com  OnStar. Se o interesse for por usar um Cruze, paga-se R$ 35 a hora, por até 6 horas. Depois desse período entra uma diária de R$ 210. Nesse preço já está incluído seguro e combustível.  Tudo é controlado por meio de um aplicativo de celular.

Na GM, o compartilhamento de carros já está quase 80 dias em operação . E os planos futuros incluem oferecer todos os modelos disponíveis da linha Chevrolet.  Quando passar a estar disponível, o Onix vai custar R$ 25 a hora. Mas isso deverá acontecer apenas quando o carro receber o OnStar.

Em 2017 é que o compartilhamento terá maior expansão. No fim do ano, a GM vai passar a oferecer o sistema em um condomínio em São Paulo, cujos detalhes ainda não foram revelados pela fabricante. De qualquer forma, no início, existe uma limitação da área de atuação e do tamanho da frota porque ainda não há os recursos necessários para manter um volume suficiente de carros em locais mais abrangentes.

Por isso, por enquanto, os veículos devem ser retirados e devolvidos no mesmo local.  Uma expansão maior, em grandes cidades, vai precisar, entre outros itens, de parcerias com as prefeituras.

 

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui