Pelo menos mais 11 veículos, entre carros e ônibus, foram incendiados em, pelo menos, sete cidades de Minas Gerais entre as 18 horas de segunda-feira (4) e a madrugada de hoje (5). No total, 35 veículos foram queimados desde o início da série de ataques criminosos no estado, no último domingo (3), segundo a Polícia Militar.

Anúncios

Série de ataques deixam ônibus incendiados em cidades de Minas Gerais - Divulgação/Corpo de Bombeiros

Continue lendo após o anúncio

A PM informou que as ocorrências desta segunda noite de ataques foram registradas nos municípios de Itajubá, Luz, Passos, Tupaciguara, Uberaba, Uberlândia e Varginha. A imprensa local relata que também houve novos casos em Alterosa, Alfenas, Araxá, Machado, Três Pontas, Itajubá e Ipuiuna, mas a PM não confirmou a informação.

Desde o domingo, duas agências bancárias, um caixa eletrônico de autoatendimento, uma delegacia, uma unidade da PM e uma usina de reciclagem também foram alvos de ataques ou ações suspeitas. As autoridades de segurança pública ainda investigam o vínculo entre todas as ocorrências.

Até o momento, não há registros de feridos. Quarenta suspeitos de participar das ações criminosas já foram levados para prestar depoimentos. O governador Fernando Pimentel determinou às forças de segurança pública que priorizem identificar e punir os responsáveis pelos ataques.

As autoridades estaduais procuram manter em segredo os resultados preliminares das investigações, mas, em particular, representantes da PM e da Polícia Civil admitem que uma das hipóteses é de que os ataques sejam comandados por líderes de uma facção criminosa.

Ontem, o porta-voz da PM mineira, major Flávio Santiago, disse que a hipótese de participação de organizações criminosas ganhou força após áudios atribuídos a bandidos serem compartilhados pelas redes sociais. Segundo o porta-voz, a veracidade das mensagens foi descartada pelo serviço de inteligência da corporação, que concluiu que os áudios não tinam conexão com os crimes recentes.

Anúncios
Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui