Cerca de 700 famílias que ocupam as margens da BR-381 e do Anel Rodoviário, em Belo Horizonte, terão moradia garantida pela futura concessionária do trecho da rodovia que liga a capital mineira a Governador Valadares. A informação foi divulgada pela Advocacia-Geral da União (AGU) nesta terça-feira (3), após homologação de acordo pela Justiça Federal de Minas Gerais.

A remoção das famílias era apontada como um dos entraves para a privatização da rodovia. O governo federal pretende conceder à iniciativa privada 27 quilômetros do Anel Rodoviário e 303 quilômetros da BR-381. Agora, a medida estará prevista no edital de concessão. Esta é a primeira vez que um certame já prevê este tipo de medida.

“Conseguimos finalizar um processo que já se arrastava há anos e construir uma solução que envolve grande parte das famílias impactadas pelas obras. Por isso, a importância social desse acordo. Outra questão está relacionada à infraestrutura, já que o acordo permite que o governo federal lance o edital de concessão da BR-381. Acredito que com as obras de melhorias a serem executadas o grande número de acidentes naquela rodovia, conhecida pelas inúmeras mortes, irá diminuir”, destaca o Procurador-Chefe da União em Minas Gerais (PU/MG), Max Casado de Melo.

Duplicação

Quanto às obras de duplicação e modernização da BR-381, o Dnit liberou no fim de fevereiro, mais 12 quilômetros de trabalhos concluídos, no município de Antônio Dias. O tráfego foi liberado a partir da altura do quilômetro 297, no acesso à pista nova, até o quilômetro 310, retornando para a pista antiga, próximo à comunidade do Machado.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui