Contas de consumo de água e energia elétrica do Centro de Referência em Saúde Bucal (Cresb) de João Monlevade estão sendo cobradas mesmo com o local fechado há seis meses. A denúncia foi apresentada pelo vereador Belmar Diniz (PT), durante reunião da Câmara Municipal, na última quarta-feira (6).

O parlamentar apresentou os valores das contas que beiram R$ 2.400,00. A princípio, a Prefeitura teria alegado, conforme discurso do vereador, que as contas seriam justificadas por obras internas no Cresb. No entanto, procurados por Belmar, vizinhos da unidade de saúde alegam que não viram movimento de serviços de reforma no local.

“Procurei me informar com a coordenadora de saúde bucal e ela me disse que só estava sabendo da quebra de paredes e não saberia me informar sobre obras em andamento. Nada justifica a cobrança de consumo de água e energia elétrica de um local fechado desde o mês de agosto. Cobrança indevida ou desvio de recursos? Todos os valores cobrados estão sendo pagos com recursos da saúde”, pontuou Belmar.

Anúncios

Em busca de informações sobre a questão, o vereador foi novamente até a sede do Cresb no dia seguinte á denúncia apresentada na Câmara. No local ele disse que ficou surpreso ao encontrar três profissionais que começariam no dia a reforma da unidade. Outra surpresa foi encontrar com o assessor de Comunicação da Prefeitura, Will Jony, que registraria o início das obras.

Durante conversa, conforme relatos de Belmar para a reportagem do jornal O Celeste, o assessor teria afirmado que a cobrança das contas de água e luz estariam irregulares. Segundo Will, os valores estariam sendo cobrados conforme a média dos meses anteriores, já que o Cresb estava fechado e sem acesso para que as leituras do consumo de água e luz pudessem ser realizadas.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui