Em sua quarta edição, a Copa Verde foi considerada a primeira competição carbono zero do futebol mundial

A realização da Copa Verde 2017 contará com o apoio oficial do Ministério do Meio Ambiente (MMA). A competição de futebol é primeira do País a adotar o conceito de sustentabilidade.

Com a iniciativa, o órgão passa a unir esforços com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para difundir ações de preservação do meio ambiente associadas à modalidade esportiva que mais atrai a atenção de pessoas no Brasil e no mundo.

O Protocolo de Intenções foi assinado, na quarta-feira (15), pelo ministro Sarney Filho, o vice-presidente da CBF, Antônio Nunes, e pelo presidente da Caixa Econômica Federal (CEF), Gilberto Occhi.

Para Sarney filho, o esporte pode representar uma importante alavanca para a difusão das políticas ambientais. “O futebol é uma paixão nacional e um instrumento de união que mobiliza milhões de brasileiros, de diferentes faixas etárias e sociais. Nos associarmos à Copa Verde é uma forma de ampliarmos o alcance das agendas ambientais junto à população, principalmente, aos jovens por meio de ações voltadas à educação ambiental”, afirmou.

Em sua quarta edição, a Copa Verde foi considerada a primeira competição carbono zero do futebol mundial. O CO2 (gás carbônico) emitido com a realização dos jogos foi compensado por meio do plantio de 1.122 mudas nativas.

Campeonato

O torneio conta com 18 times, escolhidos a partir do desempenho nos campeonatos estaduais e pela posição no ranking da CBF. Participam equipes das Regiões Norte e Centro-Oeste e do estado do Espírito Santo.

O vencedor ingressará diretamente nas oitavas de final da Copa do Brasil de 2018. As disputas tiveram início no dia 29 de janeiro e seguem até 15 de maio.

Para o vice-presidente da CBF, Augusto Nunes, a intenção é consolidar o campeonato como referência mundial em competição sustentável. “A imagem do Brasil no exterior está muito associada ao futebol. Queremos que o mundo passe a conhecer também o que a Amazônia representa de melhor para o Brasil”, afirmou.

A Copa Verde foi idealizada de forma a pregar e desenvolver consciência e valores ambientais por meio de ações que estimulam uma visão ecológica, como a reciclagem de materiais.

Outras iniciativas são a realização de concursos de redação com temas ambientais, aulas de futebol para crianças em situação de vulnerabilidade e compensação das emissões de carbono por meio do plantio de mudas de árvores.

Novidades

As novidades na edição de 2017 incluem o projeto Meu Copo Eco, em que os torcedores que comprarem o utensílio nos estádios poderão entregá-lo e ter o dinheiro de volta, ao final dos jogos.

Também está previsto a execução da ação Lixo Zero, com o gerenciamento completo dos resíduos sólidos nos estádios. Outra atração é a comercialização dos ingressos em papel semente, o que permitirá o acesso aos jogos e, posteriormente, seu aproveitamento para plantio.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui