Velório em corredor deixou família constrangida

Nesta semana o velório Municipal de João Monlevade foi palco de mais uma polêmica. É que um corpo foi velado no corredor do local sob alegação de que duas das três capelas existentes estariam trancadas e reservadas para uma funerária da cidade que realizaria as cerimônias fúnebres. A situação constrangedora aconteceu no último dia 22. O corpo foi velado do lado externo das 23h até o dia seguinte. Segundo informações, um dos velórios na capela só foi começar no meio da tarde do dia 23.

A situação causou revolta na família, segundo o vereador Gentil Bicalho (PT). Foi ele quem tornou o caso público, na tarde de anteontem (28), em reunião da Câmara Municipal. O parlamentar pontuou que “faltou senso de responsabilidade da administração municipal para evitar situações como essa”. O vereador pediu que providências fossem tomadas para evitar que novos episódios se repitam. O discurso de Gentil foi endossado pelo presidente do Legislativo, Djalma Bastos, que também disse que faltou bom senso e sensibilidade com a questão.

O líder da prefeita da Câmara, Sinval Dias (PSDB), sugeriu um requerimento em conjunto com o vereador petista. O documento deve ser enviado para a chefe do Executivo com pedido de providências. “Quem sabe construímos outra capela e acabamos com o problema”, falou o tucano.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui