Cresb é fechado e só deve retomar atividades em dois meses

Depois de muitas reclamações envolvendo falta de materiais e até mesmo de cadeiras odontológicas, a prefeitura de João Monlevade fechou o Centro de Referência em Saúde Bucal (Cresb) sob justificativa de que vai reformar o local. Apesar de não divulgar planilha de serviços ou outras informações sobre o processo, a unidade, conforme a Assessoria de Comunicação, deve ficar fechada por pelo menos dois meses.

Com o fechamento do Cresb,  ainda conforme informações do Executivo,  toda a agenda está sendo remarcada e avisada aos usuários. Os 19 servidores também serão  remanejados para as unidades de saúde onde serão feitos os atendimentos: Santo Hipólito, Monlevade Centro e Padre Hidelbrando.

Por dia, o Cresb faz 60 atendimentos. Funcionários que trabalham no local e que pediram anonimato à reportagem, estão receosos com a decisão da prefeita Simone moreira (PSDB). Isso porque as demais  unidades de saúde não vão dar conta de suprir os atendimentos que eram feitos no Cresb. “Muitos pacientes que começaram o tratamento, vão perder o que já foi feito. A verdade é essa”, falou um servidor.

Outro ponto levantado pelos funcionários é a possibilidade de que o Cresb não volte mais a funcionar. O local, alvo de várias denúncias, tem definhado em investimentos. Faltam desde materiais odontológicos à cadeiras para atendimento dos usuários. Para retomar as atividades, a administração deve fazer grande investimento, tanto estrutural quanto material.

Um telefone para esclarecer sobre o atendimento aos usuários foi disponibilizado pela Prefeitura. O número é o 3859-5807.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui