Crianças têm que driblar salas cheias de água em creche de Monlevade

Entulhos e carteiras infantis seguem amontoados em cima da lage da creche

O Centro de Educação Infantil (Cemei) que fica no bairro Promorar, em João Monlevade, teve parte do telhado arrancado com a forte chuva que caiu na cidade há mais de quinze dias. Com isso, parte das salas de aula da creche segue sem cobertura e as crianças foram realocadas em outras repartições da instituição.

No Cemei, por conta da falta de telhado, a lage está cheia de água, o que provoca infiltrações no teto. Devido a este problema, duas salas estão interditadas. As atividades escolares seguem ritmo normal. Mas, caso o problema não seja sanado com rapidez, pode danificar ainda mais o prédio público e ainda causar mofos em sala de aula.

Em rede social, a mãe de um dos alunos atendidos pela instituição, classificou a situação como descaso da administração municipal.

“Ontem [segunda-feira, dia 12] ao levar meu filho para a escola, me deparei com uma cena triste e revoltante. Na verdade, um descaso total. As salas do Cemei Promorar estavam todas molhadas (…) pois todas estão com infiltração no teto. Me senti tão humilhada ao ver que as crianças estavam do lado de fora das salas por não terem condições de permanecer dentro das mesmas. Fiquei mais indignada ao saber que a prefeitura já havia sido notificada e nada fez”, escreveu.

O vereador Belmar Diniz (PT) esteve na escola e falou que a situação é lastimável. Ele confirmou os problemas e ressaltou que a Prefeitura está ciente do problema. O parlamentar comparou o problema da creche com o ocorrido no velório municipal no ano passado. Na época, por problemas no telhado, ocorreram infiltrações no teto que chegaram a gotejar sobre falecidos que eram velados no local. Para minimizar a questão, lonas foram usadas no telhado até finalização de obras na cobertura. “No velório municipal, eles colocaram lona em um dia após manifestação da população. Lá no Cemei está assim há 15 dias. Falta de responsabilidade, respeito e compromisso com a educação infantil.”, frisou o vereador.

Até a postagem desta matéria a Prefeitura não havia se manifestado sobre a questão.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui