Data base dos servidores públicos volta à pauta de discussões na Câmara

Após quase cinco meses, a data base dos servidores públicos de João Monlevade ainda segue indefinida e voltou a ser assunto dos vereadores na Câmara Municipal, em reunião ordinária na tarde de ontem (26).

Anúncios

O impasse do reajuste salarial ocorre porque os parlamentares reprovaram projeto da prefeita Simone Moreira (PSDB) que previa o aumento de 3,29% nos salários do funcionalismo público. A rejeição ocorreu, segundo os vereadores, a pedido dos próprios servidores que pleiteavam novas rodadas de discussões sobre a questão e também possível aumento no valor do vale-alimentação.

Continue lendo após o anúncio

Com isso, o sindicato que representa a classe, o Sintramon, e secretários da administração municipal, voltou à mesa de negociações. Os vereadores Thiago Araújo (Titó-PDT) e Gentil Bicalho (PT) também participaram do encontro, que ocorreu no início dessa semana.

Os parlamentares pontuaram sobre as negociações durante a reunião da Câmara e disseram que ficou previamente acordado a proposta de 2,9% de aumento nos salários e de R$ 35,00 no vale alimentação de todos os servidores. Também há hipótese de reajuste de 3,29% nos proventos e zero no vale. As duas sugestões devem ser submetidas à votação do funcionalismo público em assembleia.

O vereador Sinval Dias (PSDB), líder da prefeita na Câmara Municipal, afirmou que o Executivo não vai abrir novamente as negociações sendo os índices expostos a “cartada” final de Simone Moreira. Com isso, a reunião prevista para o próximo dia 10, na Justiça do Trabalho, em Belo Horizonte, foi desmarcada.

Para o reajuste ser concedido, ainda conforme informações do parlamentar, a prefeita aguarda posicionamento do sindicato para elaborar novo projeto que prevê o aumento salarial para enviar aos vereadores para apreciação e votação.

Anúncios
Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui