Depois de denunciado pelo vereador Belmar Diniz (PT), o consumo de água no prédio do antigo Pronto Atendimento (PA) de João Monlevade caiu pela metade. O parlamentar apontou a economia durante a reunião da Câmara Municipal na última quarta-feira (15). Há alguns dias, Belmar divulgou os valores das contas de água pagas pela administração municipal ao Departamento de Água e Esgoto (DAE) com o PA fechado.

Segundo levantamentos feitos por ele, junto ao setor de Contabilidade da Prefeitura, o gasto com água estava se mantendo fixo em R$ 5.300,00 nos últimos seis meses. Após questionar o valor, a conta caiu para R$ 2.741,00, no mês de maio. O resultado corresponde à economia mensal de R$ 2.500,00. O valor teria sido reduzido, conforme informações da Secretaria Municipal de Saúde, devido ao reparo de um vazamento no local, que foi constatado – após os questionamentos do vereador – com uma verificação minuciosa nos medidores de consumo de água do PA.

Belmar, em rápida somatória, enfatizou que de quando o PA fechou até o dia que apresentou a denúncia, a Prefeitura teria pago um valor fora da realidade do que o que foi gasto. Para ele, as análises indicam que o DAE estaria cobrando da Prefeitura um valor calculado por média e não por consumo. O vereador acredita que o vazamento não existiu e com isso o DAE teria que ressarcir à administração direta os valores pagos indevidamente. “Quero fotos e provas de que foi feito um serviço para sanar o vazamento. Caso contrário, caso contrário que se devolvam os valores para a Saúde”, ponderou.

O tucano Sinval Dias, líder do prefeito na Casa, minimizou a questão e sugeriu uma reunião com técnicos do DAE para que a questão seja esclarecida.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui