Desfile de 7 de Setembro de São Gonçalo resgata cultura e história de Minas

A Prefeitura de São Gonçalo do Rio Abaixo realizou pelo segundo ano consecutivo o desfile de 7 de Setembro. Com o tema “Minas Gerais – resgatando nossas belezas naturais, culturais e histórica” estudantes, professores e integrantes de associações do município percorreram as ruas centrais da cidade.

O momento cívico voltou a ser tradição histórica na cidade e o evento contou com a participação de mais de dois mil integrantes marchando pelas ruas. Autoridades locais e moradores de outras cidades também participaram da solenidade.

Publicidade

O desfile da Independência teve apresentações artísticas diversas, que ocorreram ao som das fanfarras do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) e do Centro Educacional de São Gonçalo do Rio Abaixo (Cesgra). A religiosidade mineira, a diversidade cultural, a gastronomia, a agricultura e pecuária, foram alguns dos temas abordados.

A beleza e riqueza das apresentações deixaram a oficial judiciário Juliana Pontes, moradora de Timóteo, encantada. “Achei excelente as apresentações. Esse resgate cultural enaltece o nosso patriotismo e foi tudo muito bem organizado. Gostei da maneira como foi apresentada a cultura mineira e a de São Gonçalo”, elogiou.

Nostalgia foi o sentimento despertado no motorista Luiz Carlos Barros, morador da zona rural de Borges. “Matei saudades de muitas coisas, em especial da fanfarra. Achei ótimo e acredito que a Prefeitura tem que continuar investindo”, sugeriu.

A estudante Camilly Vitória, 12 anos, da Escola Integral de Vargem Alegre, desfilou pela segunda vez e este ano atuou como bailarina. “Fiquei nervosa nos momentos das coreografias, mas ao mesmo tempo muito feliz pela oportunidade de resgatar nossa cultura”.

A personagem Virgilina chamou a atenção no desfile. Representada pela professora Geralda Francisca Rosa, da Escola Municipal Manoel Gonçalves, ela atuou como uma idosa moradora de comunidade rural e desfilou em carro aberto em um cenário de uma cozinha de roça. Ela fazia bordados e dava conselhos a uma criança sentada à beira de um fogão de lenha. “Me inspirei na minha avó e percebi que as pessoas gostaram bastante. É na simplicidade que está a verdadeira felicidade”, comentou.

 

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui