O presidente afastado da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), renunciou ao cargo na tarde desta quinta-feira (7). 

Eduardo CuO presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), informou que vai aguardar a escolha do líder do PP para definir as comissões permanentes da Casa.
Marcelo Camargo/ Agência Brasil

Eduardo CuO presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), informou que vai aguardar a escolha do líder do PP para definir as comissões permanentes da Casa.


Em pronunciamento, Cunha acusou o governo de Dilma Rousseff de liderar uma “vingança” contra a sua decisão de encabeçar a abertura do pedido de impeachment da petista. “Estou pagando um preço alto”, afirmou.

Na leitura da carta que protocolou nesta quinta-feira, o deputado, com voz embargada, criticou o que chamou de “perseguição” à sua família, principalmente a mulher e a filha, ambas envolvidas no uso de dinheiro que Eduardo Cunha teria recebido de forma ilegal. 

A renúncia, porém, será apenas da presidência da Câmara, em uma tentativa de acalmar os ânimos sobre o seu nome – o relatório que pede a cassação do seu mandato de deputado foi aprovado no Conselho de Ética e está na Comissão de Justiça da Casa. Além disso, o Supremo Tribunal Federal tornou Cunha réu em ação que investiga sua participação em esquemas de corrupção.

Desde o início das investigações, ele havia afirmado que não abriria mão do cargo – mas o andamento das investigações e a inclusão de familiares nas denúncias pesou para o parlamentar tomar a decisão. Ele afirmou que continuará brigando para manter o mandato como deputado federal.

*Mais informações em instantes






Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui