Equipe do Sevor presta atendimento às vítimas de acidente na 381

A semana começou com uma boa notícia para o grupo do Serviço Voluntário de Resgate (Sevor), de João Monlevade. Os socorristas conseguiram o credenciamento junto ao Corpo de Bombeiros de Minas Gerais para atuar no atendimento pré-hospitalar.

Com isso, a equipe de resgate é o primeiro grupo do estado a se enquadrar nas exigências da portaria 33/2018 do Corpo de Bombeiros. O certificado, que tem a data do dia 18 de março de 2019, é assinado pelo 2º tenente Igor Rafael e vale até 2021.

A legislação estadual, em vigor desde o final do ano passado, determina o credenciamento junto ao Corpo de Bombeiros de grupos de resgate voluntário, como é o caso do Sevor. Para isso, é necessário várias adaptações nas equipes. Entre as exigências da portaria 33/2018 está a padronização de uniformes dos voluntários e formação profissional dos socorristas.

O credenciamento do Sevor foi comemorado pelo presidente da entidade Renato Carvalho. “É com alegria e a sensação de dever cumprido, que comunico a toda população que o Sevor acaba de receber o credenciamento do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, sendo a primeira instituição voluntária do estado a ser credenciada”, comentou.

Terreno

Ainda conforme Renato, também nesta segunda-feira (19), o Sevor recebeu da prefeitura de João Monlevade, documento que dá direito real de uso de novo terreno para que os voluntários possam ampliar e concluir o projeto da sede administrativa, operacional e de treinamento da entidade. O terreno fica ao lado da casa nova do Sevor, que foi inaugurada recentemente em área na avenida Sebastião Simão de Almeida, no bairro Sion. O local possui localização estratégica, próximo à saída de João Monlevade. Ao todo, com a área inaugurada, as duas concessões totalizam 843,57m².

O Sevor atua desde 1998 na cidade de João Monlevade, Bela Vista de Minas, Nova Era, São Domingo do Prata, Rio Piracicaba, Alvinópolis e São Gonçalo do Rio Abaixo. A Central Operacional possui quatro unidades de resgate e 80 voluntários. Por ano, a média de atendimentos é de 1.250. Entre os voluntários há médicos, técnico de enfermagem, fisioterapeuta, técnico segurança do trabalho e bombeiro profissional civil. Todos passam por curso de 380 horas e estágio supervisionado.

 

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui