Secretária de Saúde de São Gonçalo do Rio Abaixo, Carolina Duarte

A secretária de Saúde de São Gonçalo do Rio Abaixo, Carolina Duarte, coordenou a apresentação do Relatório Detalhado do Quadrimestre Anterior (RDQA) da secretaria a qual é titular. A ação ocorreu no Plenário da Câmara de Vereadores da cidade, na tarde desta quinta-feira (24).

Durante mostra das ações em São Gonçalo, a secretária de Saúde comemorou os resultados obtidos em 2017 e destacou bons índices. Enfática, Carolina disse que foi preciso adotar medidas austeras para manter a qualidade dos serviços prestados, diante do cenário econômico e atraso de repasses do Governo do Estado. Ela também enalteceu a aplicação de 19,82% da receita municipal na área da saúde, quando o determinado pela constituição é de 15%. Segundo ela, o índice de 2017 é o melhor desde o ano de 2013.

“Adotamos algumas medidas para evitar que qualquer serviço de saúde fosse interrompido no município, prezando sempre pela qualidade. Trabalhamos com quadro reduzido de funcionários e frota de veículos, fizemos reajustes nos contratos, evitamos estoques e maior controle dos insumos e materiais. Adotamos essas medidas ao longo dos anos e o que percebemos ao final de 2017 e no início de 2018 foi que nós conseguimos atingir índice de aplicação na saúde de 19,82%, sendo que o mínimo constitucional é de 15%. Observamos que com uma melhor gestão dos recursos e aproveitamento de mão de obra, obtivemos o segundo maior índice de 2013 para cá. Para gente é muito benéfico, uma vitória diante da crise que foi difícil para vários municípios a começar pelo Estado, que tem atrasado os repasses de recursos vinculados ao SUS [Sistema Único de Saúde]”, destacou a secretária de Saúde.

Carolina Duarte assinalou projetos como a inauguração da segunda etapa do hospital municipal. A primeira parte das obras da unidade de saúde foi entregue para a população em 2016, com investimentos de mais de R$ 20 milhões de recursos próprios do município. “O nosso município sempre prezou em investir em saúde e cuidar da população com qualidade. Temos melhorias a fazer. Para garantir a prestação de serviços de qualidade, vamos buscar investir em outras ações e pensar na segunda etapa de inauguração do hospital. Faremos o que for possível para a população de São Gonçalo”, garantiu.

Gestoras falam de ações

Ana Carolina Ferreira Andrade,  responsável  Pronto Atendimento

Além da secretária de Saúde, a apresentação do Relatório de 2017 contou com a apresentação das gestoras que coordenam ações e unidades vinculadas à pasta. Ana Carolina Ferreira Andrade, enfermeira responsável pela coordenação do Pronto Atendimento, expôs os números de atendimentos médicos que chegaram a 27.306 pessoas atendidas. Ela também pontuou sobre a realização de exames na unidade e pacientes que foram transferidos para outros hospitais. Ela destacou ainda que a taxa de resolutividade dos atendimentos do PA chegam a 98%.

A coordenadora da Assistência Farmacêutica, Débora Cota, mostrou que no ano passado, a quantidade de remédio distribuído à população de São Gonçalo do Rio Abaixo passou de 4 milhões de unidade.

O Centro Especializado em Saúde (Caps), um dos principais programas de atendimento na cidade é coordenado por Ronara Kelles. A unidade, denominada Núcleo Psicossocial Peixe Vivo, presta atendimento ambulatorial, de permanência e espaço de convivência para portadores com transtorno mental e usuários de álcool e outras drogas em reabilitação. Em 2017, atendimentos psiquiátricos, psicológicos, terapêuticos e de enfermagem chegaram a 8.696. Já a reabilitação contabilizou 877 pacientes do sexo feminino e 3.680 do sexo masculino.

Vigilância em Saúde é coordenada por Elaine Fagundes

O trabalho da Vigilância em Saúde também ganhou destaque e foi apresentado por sua coordenadora, Elaine Fagundes. Das ações, a gestora apontou a vistoria em residência, contratação de agentes de endemias e o número zero de infectados pela dengue no município em 2017.

 

O que é Relatório Detalhado do Quadrimestre Anterior

O Relatório Detalhado do Quadrimestre Anterior é o instrumento utilizado pela gestão municipal para apresentar o monitoramento e acompanhamento das ações e despesas do Fundo Municipal de Saúde. A apresentação do Relatório atende a legislação e precisa ser feita pelo gestor municipal de saúde em audiência pública.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui