Em dois meses, sede do Bem Viver é furtada três vezes

Vereadores encaminham denúncias de irregularidades ao MP

Vereador do PTB em João Monlevade, Cláudio Cebolinha

Em dois meses, a sede do Bem Viver, que fica no bairro Novo Cruzeiro, em João Monlevade, foi arrombada e teve materiais furtados por criminosos por pelo menos três vezes.  O vereador Cláudio Domingues (Cebolinha-PDT) denunciou na tarde de ontem (28), em reunião da Câmara Municipal, nova ação de vândalos no local. Ele classificou o fato como um transtorno para a comunidade da região do Cruzeiro Celeste.

O parlamentar contou que no último sábado (24), vários instrumentos musicais do grupo Tambores do Morro foram furtados. Criminosos levaram também outros materiais do lugar e equipamentos de informática. “Furto em repartição pública traz muito prejuízo para a sociedade”, falou o vereador que se disse entristecido pela falta de atenção da administração municipal com a região. “O que nos faz ficar entristecido é que a região precisa ser bem olhada”, comentou.

Belmar Diniz (PT), que na semana passada denunciou o sucateamento sucateamento dos serviços do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) e do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) – que funcionam na sede do bem Viver- informou que ele e o vereador do MDB, Carlos Roberto Lopes (pastor Carlinhos), encaminharam uma representação ao Ministério Público com vários pontos que consideram como errados nos dois órgãos. Ele destacou que tanto o Cras quanto o Creas possuem dinheiro em conta e o montante não é movimentado. “Tudo isso é reflexo do descaso e do desleixo da administração com os serviços”, ponderou.

Os dois órgãos pertencem à Secretaria Municipal de Trabalho Social e atuam com foco em pessoas em situações vulneráveis, de risco social ou que tiveram seus direitos violados.

Diante das denúncias, na semana passada, a prefeita Simone Moreira (PSDB) manifestou sobre a questão e alegou que o Cras e o Creas passam por reestruturação e em breve os serviços oferecidos pelas entidades, como por exemplo, acompanhamento jurídico, psicológico e oficinas, serão retomados.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui