Escolas estaduais recebem novos computadores e outros equipamentos

Secretaria de Estado de Educação investe na aquisição de artigos de informática, como computadores, impressoras e projetores, para utilização pelos professores, alunos e servidores administrativos

O ano letivo já começou nas escolas estaduais de Minas Gerais, e, em muitas delas, a boa notícia é que os alunos poderão contar com novos computadores e salas de informática completas, com acesso à internet.

A Secretaria de Estado de Educação (SEE) investiu mais de R$ 145 milhões, em 2015 e 2016, na aquisição de mais de 45 mil equipamentos de informática para todas as 47 Superintendências Regionais de Ensino (SRE), Conselho Estadual de Educação e todas as escolas estaduais. Os aparelhos estão sendo entregues, montados e configurados para utilização em salas de informática e setores administrativos das escolas.

“No início desta gestão fizemos um censo tecnológico para verificar como estava a situação dos equipamentos de informática nas escolas estaduais. Muitos estavam defasados e sem funcionamento adequado, tanto na sala de informática como no setor administrativo. Assim, pudemos avaliar a real necessidade de cada escola”, explica o diretor de Tecnologias Aplicadas à Educação da SEE, Bruno Borges.

Neste censo foi constatado que, no início da atual gestão, cerca de 2 mil escolas tinham laboratório de informática. Porém, apenas 30% delas estavam em perfeito funcionamento. Com os investimentos feitos pela SEE, o número de salas de informática foi ampliado e hoje mais de 2 mil estão funcionando.

Segundo Borges, a expectativa é que, até o final do ano, 95% das escolas estaduais tenham suas salas de informática montadas e em funcionamento. “Além disso, 100% das escolas terão computadores para o setor administrativo, o que parece básico, mas também não era realidade”, completa.

Foram adquiridos 38.910 computadores, quatro mil projetores multimídia e 3.800 impressoras, que estão em processo de entrega, com previsão de término no primeiro semestre de 2017. Até o momento, todas as 47 SREs, o Conselho Estadual de Educação e mais de 1.500 escolas já receberam os equipamentos.

Também em 2015 e 2016 foram investidos nas escolas estaduais R$ 24.388.840,45 em infraestrutura de rede lógica e elétrica, necessária para funcionamento desses equipamentos. “Essa ação visa a padronização do parque tecnológico das escolas estaduais e Superintendências Regionais de Ensino, propiciando melhores condições de trabalho aos servidores”, ressalta Borges.

 

Demanda para revitalização

Segundo o diretor de Tecnologias Aplicadas à Educação da SEE, Bruno Borges, o censo realizado pela SEE apontou uma demanda por mais de 70 mil computadores para revitalização tanto do setor administrativo das escolas quanto das salas de informática.

“Mesmo com a demanda maior, estamos conseguindo atender bem as escolas estaduais, pois foi verificada a real necessidade de cada uma. Esse trabalho foi muito importante, pois evitou que determinada escola recebesse equipamento além de sua necessidade”, afirma.

 

Segundo Bruno Borges, todas as escolas do estado receberão equipamentos novos para o setor administrativo, contando com projetor e impressora. “A escola que não recebeu máquinas para a sala de informática é porque tem uma em boas condições de uso ou porque não tem espaço físico ainda para montagem”, explica.

A expectativa da Secretaria de Educação é de atender a demanda total até o final de 2018. “Os recursos que temos disponíveis não mudaram, só estão sendo aplicados de forma melhor”, finaliza Borges.

Núcleo de Tecnologia Educacional

Responsável por fazer a gestão tecnológica, prestar suporte técnico e realizar capacitações para o uso pedagógico das Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDICs) aplicadas à educação nas escolas, o Núcleo de Tecnologia Educacional (NTE) é uma estrutura descentralizada do Programa Nacional de Tecnologia Educacional (ProInfo), vinculado à Secretaria de Estado de Educação.

Para fortalecer e estabelecer diretrizes para os NTEs, em maio de 2016 o Governo de Minas Gerais publicou a Resolução 2.972/2016. Assim, os núcleos passaram a ser vinculados às Diretorias Educacionais das Superintendências, o que representou um novo enfoque de atuação dessas unidades.

 

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui