Escritos do Rapha – O anjo e a rosa

O anjo e a rosa

Existia um jardim, e neste jardim, dentre tantas flores, existia uma rosa. A mais bela de todas.

E naquele Jardim vivia um anjo. Um Anjo de cura. E aquela rosa, mesmo sendo tão bela, precisava de cuidados.

E assim, o anjo a reconheceu e fez o que tinha que ser feito, com dedicação, zelo e amor. Dia após dia, ele cuidava daquela flor esperando que ela desabrochasse.

O tempo passava, o anjo continuava a sua rotina, ele via a flor crescer em força e beleza, mas ainda assim, estava longe de desabrochar.

O anjo começou a inquietar-se com aquela situação. A ansiedade passou a fazer-se presente. O fluir passou a ser diferente. Passou a querer se sentir recompensado por sua dedicação e isto criou uma mancha em seu coração. Ele queria o desabrochar da bela rosa para ele e, isto, nem o tempo, nem a rosa e nem Deus poderia prometer-lhe.

Por ser anjo e ter recebido de Deus o dom da cura sem dar nada em troca a Deus. Ele devia curar também sem esperar nada em troca. O não cumprimento desta ordem o faria perder as asas, o poder e até mesmo a possibilidade de estar presente quando a bela rosa desabrochasse.

O anjo então entendeu que para obedecer ao mandamento precisaria se afastar e deixar que o tempo de Deus fizesse parte do trabalho. Com o coração em pedaços, o Anjo foi mais uma vez ver a bela rosa. Com o coração encharcado de amor e gratidão pela vida da rosa, disse a ela o quanto a amava e era especial. Mas que ele não poderia mais visita-la sempre na esperança de vê-la desabrochar.

Por um momento, o Anjo e a Bela rosa se entristeceram. Mas ambos entenderam. O anjo que a rosa precisava do tempo dela. A rosa que o anjo para continuar sendo o Seu anjo deveria se afastar, pois sem suas asas e seus poderes, ele deixava de ser anjo e passava a ser apenas um visitante do jardim como tantos outros.

E assim foi feito na esperança de ser um até logo e que um dia o anjo voltaria aquele lugar do jardim e pudesse amar a Bela rosa sem perder suas asas (…)

Siga o Instagram: @escritos.do.rapha

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui