Esposa de professor que morreu com dengue é internada com a doença

Prefeitura de João Monlevade tem recorrido ao "fumacê" para eliminar mosquitos Aedes aegyt
Juscelino (in memorian) e a esposa Arlete

A monlevadense Arlete Hosken está internada no hospital Biocor,  em Belo Horizonte, com dengue. Ela é esposa do professor de matemática Juscelino Tadeu Gonçalves, 66 anos, que faleceu  na última quinta-feira (25), em João Monlevade, vítima de dengue hemorrágica.

A filha de Arlete, a dentista Juliana Hosken, confirmou a doença da mãe e disse que o caso dela foi considerado grave. Por áudio divulgado em rede social, Juliana disse que as plaquetas da mãe despencaram. “Realmente é dengue e muito grave. As plaquetas despencaram de 200 para 102. Mas graças a Deus no primeiro exame de sangue elas subiram para 132. Continuem rezando pela minha mãe e minha família. Estamos aqui aguardando”, falou a dentista no início da noite desta segunda-feira (29).

Além do professor Juscelino, outras duas pessoas morreram vítimas da dengue em  João Monlevade. Os casos da doença passam de 150.

Ontem, a  Prefeitura divulgou nota afirmando que 30 agentes de endemias estão trabalhando na cidade para encontrar focos do mosquito e, quando é confirmado algum caso de dengue, é feito no local o serviço de pulverização.

A partir dessa quinta-feira (2), ainda conforme o Executivo, três médicos estarão na Unidade de Saúde do bairro Cidade Nova, de 7h às 17h, atendendo casos de suspeita de dengue. No local será disponibilizada uma ambulância de plantão para atender os casos de maior urgência.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui