Estacionamento rotativo continua gerando críticas

Vídeo circula em rede social e mostra agente do Settran e monitora da Ti Mob juntos

As multas geradas no estacionamento rotativo em João Monlevade ganhou nova repercussão nesta semana depois que um vídeo no qual um agente do Setor de Trânsito e Transporte (Settran) acompanha o trabalho de um monitor da empresa TI MOB (responsável pelo rotativo). O monitor confere se os carros estacionados ao logo da avenida Getúlio Vargas pagaram pela vaga. Veículos sem o rotativo ativo podem ser multados.

O vídeo foi exibido pelo vereador Belmar Diniz (PT) durante reunião da Câmara na última quarta-feira (21) que criticou o setor de Trânsito, pontuando que se as imagens forem verídicas, a cidade está sendo transformada numa fábrica de multas. O parlamentar pediu a convocação do chefe do Settran, Breno Lima e do responsável pela Ti MOB para esclarecerem os fatos. A demanda foi encaminhada à comissão responsável, que vai decidir pela convocação ou não dos responsáveis.

Gentil Bicalho endossou o discurso de Belmar e sugeriu o fim do rotativo justificando que o sistema tem gerado muitas polêmicas. Ele afirmou que a Câmara não pode ignorar que o serviço está sendo mal executado e que precisa de providências. Em contrapartida, Sinval Dias (PSDB), líder da prefeita na Câmara, criticou Belmar alegando que o vereador apresentou uma denúncia infundada.

O outro lado

Procurado, o chefe do Settran, Breno Lima, esclareceu os fatos e apontou que uma das tarefas do agente de trânsito é fiscalizar e monitorar o estacionamento rotativo. Ele foi enfático ao chamar atenção para atitude do agente no vídeo que em momento algum multou o motorista. “O vídeo chama atenção para que os motoristas respeitem a legislação e o estacionamento. O condutor tem cinco minutos de tolerância para ativar o crédito de R$ 2,00 por hora do carro estacionado”, explicou Breno.

O chefe do Settran disse também que apenas quatro agentes de trânsito fazem o monitoramento de toda cidade. Eles trabalham em escala de revezamento e só quando não têm atividades externas é que ficam designados a acompanhar o rotativo. “Quem dera um tivesse um agente para cada monitor da TI MOB, pois assim o rotativo seria realmente eficiente. O monitor e o agente de trânsito juntos foi uma coincidência”, pontuou.

Rotativo rende 940 multas em menos de um ano

O sistema de estacionamento rotativo em João Monlevade já rendeu 940 multas em 11 meses (20 de junho de 2016 a 26 de maio de 2017). Os dados são do Settran. As demais infrações de trânsito na cidade, como estacionar em local proibido, em vaga de carga e descarga, no passeio ou dirigir falando ao celular somam 2.305 – no mesmo período.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui