As propostas debatidas e aprovadas pelos jovens são alusivas ao tema do PJ Minas 2016, que é Mobilidade Urbana

Os estudantes que representam João Monlevade no projeto Parlamento Jovem Minas 2016 realizaram ontem, 23, a Plenária Municipal. Na oportunidade, os jovens parlamentares priorizaram as seis propostas que defenderão na etapa regional do projeto, que ocorre em Itabira, no próximo mês. Os municípios de Itabira e São Gonçalo do Rio Abaixo também realizaram suas plenárias esta semana. As três cidades juntas formam o Polo Médio Piracicaba.

A Plenária em Monlevade foi acompanhada pelo vice-presidente da Câmara, Carlos Gomes (PTB), e pelos vereadores Belmar Diniz (PT), Fabrício Lopes (PMDB), Leles Pontes (PRB) e Evandro Dias dos Santos (Tuquinho do Povo – PSDB). Os demais vereadores justificaram ausência. Representou o prefeito Teófilo Torres (PSDB) o secretário municipal de Planejamento, Eduardo Bastos. Todo o trabalho foi feito pelos próprios estudantes, sob a coordenação das servidoras Cíntia Araújo, Evanir Mercês Gonçalves e Regina Coeli, que coordenam o projeto em Monlevade desde 2013.

As propostas debatidas e aprovadas pelos jovens são alusivas ao tema do PJ Minas 2016, que é Mobilidade Urbana. O tema foi trabalho junto aos alunos desde março, sendo dividido em três subtemas: participação e controle social; trânsito e transporte e mobilidade urbana e infraestrutura. Os vereadores presentes elogiaram a riqueza de ideias e os debates entre os jovens, feitos de forma organizada e respeitosa.

Propostas priorizadas

As propostas escolhidas pelos participantes são:

Subtema 1 – Participação e controle social

– Criar nos municípios mineiros setor ou conselho voltado para mobilidade urbana, conforme disponibilidade do município, sendo vinculado à Secretaria de Planejamento.

– Autorizar o poder público a realizar parceria com entidades privadas, a fim de confeccionar bicicletas e bicicletários, incentivando este meio de transporte. A instituição ou empresa terá como incentivo a inserção de sua logomarca nas bicicletas e ainda, a redução dos tributos municipais, conforme disponibilidade financeira dos municípios.

Subtema 2 – Trânsito e transporte

– Tornar obrigatória a renovação da frota utilizada em transporte público nos municípios a cada cinco anos, seja ela de empresas privadas ou do próprio município.

– Implantação de faixas de pedestres elevadas nos semáforos e rampas de acesso às demais faixas.

Subtema 3 – mobilidade urbana e infraestrutura

– Tornar obrigatório nos semáforos de trânsito alerta sonoro para que deficientes visuais possam identificar momento seguro para atravessar as vias.

– Oferecer acessibilidade às pessoas portadoras de deficiência, com implantação de pisos táteis e rampas de acesso, em todo órgão e instituição pública e em seu entorno, no raio mínimo de 100 metros.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui